Muricy: ''Favorito é meu time''

Técnico do São Paulo rebate previsão de rivais e fala em 100% de chance de vitória no clássico

O Estadao de S.Paulo

15 de outubro de 2008 | 00h00

Alguns dirigentes de São Paulo e Palmeiras têm dado declarações politicamente corretas, para não estimular clima de guerra para o clássico de domingo à tarde, no Palestra Itália. Mas o jogo decisivo para as duas equipes esquenta com previsões otimistas que partem dos principais envolvidos no confronto. Na segunda-feira, Leandro e Diego Souza disseram que o favoritismo estava de seu lado. O contragolpe veio ontem pela manhã, com Muricy Ramalho. O treinador tricolor chamou para o bicampeão brasileiro a vantagem, mesmo na condição de visitante no final de semana."Falaram que estão com 70% de vantagem?", questionou Muricy, em princípio, em referência às previsões de Leandro. "Então, me contento com os 30% restantes", emendou. Em seguida, não se conteve e também preferiu rever sua projeção, para cravar. "Eu já muita porcentagem cair", recordou. "Mas, para mim, meu time é 100 por cento, e por isso favorito."O técnico pode contar pelo menos com o respaldo de Juvenal Juvêncio. O presidente do São Paulo recorreu à ironia para mostrar de que lado está a vantagem teórica no encontro do vice-líder Palmeiras (54 pontos) com o quarto colocado São Paulo (52 pontos). "Eles podem pensar dessa forma, não há problema algum", comentou o cartola. "O Palmeiras realmente é favorito e tomara esteja certo."Juvêncio negou que a diretoria estuda oferecer incentivo adicional por vitória. No primeiro turno, chegou a propor R$ 120 mil ao elenco, por vitória. Desta vez, o apoio será moral. "Será com palavras, com presença", adiantou o dirigente. "Nem precisa", enfatizou o treinador. "Somos motivados e o clube nos paga muito bem."Com ou sem favoritismo, Muricy tem um problema. Dagoberto tem dores na coxa direita, faz tratamento e sua presença é incerta. "O exame que fizemos não apontou estiramento ou ruptura da musculatura", explicou o médico José Sanchez. "Mas o local apresenta edema e ele sente dor."O atacante ficará em tratamento até amanhã. "Vamos reavaliá-lo para saber se poderá treinar", diz o médico. Muricy não está otimista. "Preocupa", afirmou. "Teremos de esperar um pouco mais para definir se joga." Se perder Dagoberto, poderá colocar André Lima no ataque com Borges.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.