Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Muricy pede meia para vaga de Ganso no Mundial

Constantes lesões do jogador preocupam comissão técnica que teme pela recuperação do craque até dezembro

Sanches Filho / SANTOS, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

O Santos se movimenta para chegar forte ao Mundial de Clubes, em dezembro, no Japão. Depois de confirmar o empréstimo do atacante colombiano Renteria, Muricy Ramalho quer um armador para ser o substituto de Ganso, que se recupera da segunda lesão muscular em 120 dias, e não tem um herdeiro no elenco. O garoto Felipe Anderson foi bem diante do Avaí, tem o apoio de Neymar, mas ainda oscila muito e não está pronto para ser o cérebro do time.

Como no caso de Renteria, os dirigentes não dão a menor pista sobre o jogador pretendido. No dia da apresentação do zagueiro Eder Lima, o diretor de futebol, Pedro Luiz Nunes Conceição, deixou escapar que o Santos ia continuar contratando. Por isso, a chegada do colombiano não foi surpresa. Ele é a opção que Muricy procurava para mudar a maneira de o time jogar durante uma partida, com a entrada de atacante alto para ser referência na área no jogo aéreo,

O que mais preocupa o treinador é que só o tratamento da lesão muscular de Ganso deverá demorar 40 dias. Depois, o jogador será passado para o departamento de preparação física para se recondicionar e, como ocorreu após a lesão anterior, ele poderá demorar demais para recuperar o ritmo de jogo, ameaçando até a sua participação na reta de chegada do Campeonato Brasileiro e no Mundial.

Outro motivo de incerteza é que, depois que os jornais deixaram de falar do interesse de clubes europeus na sua contratação, Ganso perdeu a confiança e passou a atuar muito abaixo do seu normal, tanto no Santos como na seleção brasileira.

O treinador já experimentou Elano e Ibson na armação, mas parece não ter aprovado. Muricy quer alguém com capacidade para dar o último passe. Com a efetivação de Alan Kardec no time, até Neymar passou a atuar um pouco mais recuado, mas o técnico descarta a possibilidade de adaptá-lo à função de armador. "Não dá. A característica de Neymar é de jogador que agride e que vai para cima com a bola", explicou o treinador.

O problema é encontrar esse meia. Quem já jogou por clube da Série A não pode mais. No desespero, Santos teria até tentado atravessar as negociações do Palmeiras para contratar Pedro Carmona, mas o jogador acabou indo para o Parque Antártica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.