Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Muricy promete grande atuação

Satisfeito por ter tido semana livre, técnico evoca a vitória do 1.º turno

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

14 de setembro de 2008 | 00h00

O ano são-paulino tem sido difícil. O time foi eliminado nas semifinais do Campeonato Paulista, nas quartas-de-final da Taça Libertadores e ainda não embalou no Campeonato Brasileiro. Praticamente já deu adeus ao título quando ainda faltam 14 rodadas para o final. Resta brigar por uma vaga na Libertadores de 2009. Uma vitória contra o Flamengo, às 16 horas, no Morumbi, mantém essa luta viva.O São Paulo não vence há três partidas, mas teve toda a semana para treinar, um dos pedidos mais repetidos pelo técnico Muricy Ramalho. "É impossível manter um nível bom quando se atua duas vezes por semana", reclama. "Agora tivemos tempo para treinar e todos verão um grande jogo como aquele do primeiro turno." Bela lembrança. Na sexta rodada do campeonato, as duas equipes fizeram um dos melhores jogos do Brasileiro até aqui. O São Paulo venceu por 4 a 2, em pleno Maracanã, com dois gols de Borges. Hoje, a presença do atacante ainda está indefinida. O jogador sofreu uma pancada no tornozelo direito, na quinta-feira, e não treinou desde então. "É uma lesão que preocupa porque não é tão simples", pontua Muricy. "Mas ainda há chance de ele jogar."Esta não é a única diferença daquele jogo para este. Quem estava em crise daquela vez era o time carioca, que havia perdido no meio de semana para o América, do México, por 3 a 0, no Maracanã, e sido eliminado da Libertadores. Hoje, os dois clubes brigam por vaga na competição continental do ano que vem. "É um jogo importante para a classificação e para a moral do time", destaca Muricy.A torcida só espera que o São Paulo volte a vencer. Para isto, Muricy terá à sua disposição o volante Hernanes, que passou 45 dias em Pequim com a seleção olímpica e outros 10 com o time principal de Dunga. O treinador deve escalá-lo ao lado de Jean e de Hugo no meio-de-campo. E torce para que ele volte bem. "É um jogador muito importante", analisa o técnico. "Dá segurança à defesa e ainda sai pro jogo com qualidade."Hernanes e o resto da equipe ainda não entenderam o porquê da má fase. "Se tivéssemos entendido, já teríamos solucionado", disse. Mas volta com gana de devolver a paz ao Morumbi. "A gente não aceita isso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.