Divulgação
Divulgação

Muricy Ramalho vai mudar até três jogadores para fazer o Santos reagir

A derrota para o Paulista fez o treinador perceber que time precisa ter mais força na marcação

SANCHES FILHO, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2013 | 02h04

SANTOS - O técnico Muricy Ramalho pode fazer até três mudanças no Santos para enfrentar a Ponte Preta domingo, em Campinas. Uma delas será a saída de Miralles, que tem uma lesão muscular na coxa esquerda. O atacante deve ficar em tratamento médico por pelo menos uma semana. Com a ausência do argentino, o treinador poderá dar nova oportunidade a André, que está há 13 jogos sem anotar um tento, ou adiantar Montillo para formar dupla de ataque com Neymar, com o retorno de Renê Júnior ao meio de campo.

As duas outras alterações seriam feitas para reorganizar o time, que vem de duas atuações decepcionantes - empate por 2 a 2 com o Linense, em Lins, e derrota por 3 a 1 diante do Paulista, no Pacaembu. Guilherme Santos deve deixar o time para a entrada de Léo ou até mesmo ser substituído pelo garoto Émerson Palmieri, campeão da Copa São Paulo. E Galhardo pode ter uma chance na lateral direita.

Os testes começaram no treino técnico de ontem e vão continuar hoje, no jogo-treino diante do Jabaquara. Embora tenha usado as más condições do gramado do Pacaembu - em razão da chuva - como desculpa para o tropeço diante do Paulista, Muricy vai procurar melhorar a marcação pelos lados e à frente da zaga. A dupla de volantes formada por Arouca e Marcos Assunção não funcionou defensivamente porque, em alguns momentos, eles foram ao ataque ao mesmo tempo. O ex-palmeirense reconhece que não foi bem na estreia.

"Eu acho que minha volta foi muito abaixo (do esperado)", disse Assunção. Ele não respondeu quando lhe perguntaram se foi um erro sua escalação como primeiro volante, mas admitiu que talvez possa ser mais útil atuando mais adiantado. "Quem decide é o Muricy, mas acho bom poder chegar à frente porque posso chutar mais no gol."

Assunção deu a entender em sua entrevista coletiva de ontem que vai considerar normal se Muricy substituí-lo por Renê Júnior para proteger melhor a defesa. O veterano volante prometeu treinar com muita dedicação para melhorar em todos os aspectos. Inclusive em sua especialidade, as cobranças de faltas.

"Quando a fase era boa, eu precisava de duas faltas para fazer um gol. Mas isso é treinamento. Agora, como estou voltando, vai demorar um pouco. Espero que não seja tanto." No domingo, Assunção mostrou imprecisão nas faltas. "No segundo tempo, a perna inchou e ficou pesada. Eu não conseguia nem fazer a bola subir para passar sobre a barreira."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.