Muricy usa apenas um novato para a estreia

Técnico aposta no entrosamento da base titular de 2008. Dos seis contratados, só o zagueiro Renato Silva enfrenta o Ituano, no Morumbi

Bruno Deiro, O Estadao de S.Paulo

21 de janeiro de 2009 | 00h00

As principais armas do São Paulo para a estreia no Campeonato Paulista, hoje às 19h30, ante o Ituano, já são conhecidas. Mesmo com os badalados reforços para 2009, o técnico Muricy Ramalho vai optar pelo entrosamento da base hexacampeã brasileira no ano passado. A única novidade é a entrada do zagueiro Renato Silva, ex-Botafogo, no lugar de Rodrigo, que esteve afastado por conta da demora na renovação do contrato e ainda não tem condições plenas de jogo. "Um time que se conhece corre menos, pois corre junto", afirmou Muricy, com contrato recém renovado por dois anos. Acompanhe online o jogo de hojeOntem, o zagueiro Miranda admitiu que o time são-paulino pouco conhece sobre o adversário da estreia de hoje, no Morumbi. "Não sabemos muita coisa, mas a comissão técnica vai nos passar as qualidades do adversário antes da partida", garante. No jogo de hoje, Miranda vai atuar pela primeira vez com o novo companheiro Renato Silva. O trio defensivo terá também André Dias. Os reforços para as outras posições terão de esperar mais alguns dias para jogar. Nas laterais, Wagner Diniz e Junior César aguardam uma chance. Mais complicado é o desafio dos volantes Arouca e Eduardo Costa. Os titulares da posição são Jean, escolhido como a revelação do último o Brasileiro, e Hernanes, o novo dono da camisa 10 do São Paulo. Completa a lista de seis reforços o atacante Washington, ex-Fluminense. A maior preocupação no clube é com a parte física dos atletas. Os jogadores que não estiverem em campo hoje continuarão a rotina de treinamentos em dois turnos para a próxima partida, contra a Portuguesa, no domingo, às 17 horas, no Brinco de Ouro, em Campinas. A estratégia da comissão técnica é promover um rodízio para que o trabalho de condicionamento físico não seja constantemente interrompido pelas partidas. Muricy se mostrou satisfeito com o o nível técnico do elenco após as contratações, mas lembrou que ainda falta ampliá-lo. "A qualidade melhorou, mas ainda falta quantidade. São pouco jogadores, temos apenas vinte", disse. Segundo ele, a preferência é para atletas formados nas categorias de base, mas novas contratações não estão descartadas. "Nada está fechado", garantiu. DAGOBERTO FICADurante as conversas para a renovação do zagueiro Rodrigo, o Dínamo de Kiev, da Ucrânia, demonstrou interesse em Dagoberto. Segundo Naor Malaquias, empresário do jogador, a proposta de 7 milhões (21,4 milhões de reais) feita pelo time ucraniano não foi suficiente para mudar os planos do atacante. "Não é questão de preço. Ele terminou bem o ano passado e quer ficar para jogar a Taça Libertadores."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.