Murray continua abrindo caminho

O favoritismo do escocês, que cresceu após a queda de Federer e Nadal, se amplia. O número 2 não perdeu set ainda

LONDRES, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2013 | 02h16

Andy Murray continua sem dar sopa para o azar em Wimbledon. Até agora, o escocês ainda não perdeu nenhum set na edição deste ano do Grand Slam inglês. Ontem, ele superou o espanhol Tommy Robredo por 6/2, 6/4 e 7/5 e já está nas oitavas.

O campeão do Aberto dos Estados Unidos do ano passado agora espera o vencedor do jogo entre o sérvio Viktor Troicki e o russo Mikhail Youzhny, partida que foi adiada.

O número 2 do mundo já está invicto na grama há 14 partidas, ao longo das quais conquistou a medalha de ouro olímpica em Wimbledon e o torneio de Queen's, em Londres. Os cabeças de chave que tem pela frente são Youzhny, Juan Monaco, Jersy Janowicz (que, em tese, tem potencial para complicá-lo) e Benoit Paire.

Enquanto isso, a eliminação de Rafael Nadal logo na primeira rodada continua rendendo discussão. Ontem, o ex-número 1 do mundo, que tirou uns dias de descanso e aproveitou para ver um show de Julio Iglesias, rebateu seu tio e treinador, Toni Nadal, que apontou "falta de atitude" do pupilo na partida. "Minha atitude poderia ter sido melhor, mas não preciso ter sempre a mesma opinião do meu tio."

Uma das atrações de hoje em Wimbledon será a partida entre Serena Williams e a veterana Kimiko Date-Krumm. A jogadora japonesa, aos 42 anos, está incomodando suas adversárias. "Ninguém quer perder para a vovó", brinca a aposentada Martina Navratilova, até hoje a jogadora mais velha a vencer uma partida de Grand Slam, aos 47 anos.

Kimiko se aposentou no final de 96 e, depois de 12 anos, voltou ao circuito. "Quando ela parou, pareceu-me que era cedo. Isso está provado agora", diz Navratilova.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.