Murray vence fácil, mas não fica satisfeito

Um dos favoritos do US Open, escocês saca muito mal na vitória por 3 a 0 na estreia diante do russo Alex Bogomolov Jr.

NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2012 | 03h07

Andy Murray chegou a Nova York cotado como nunca esteve antes para finalmente ganhar seu primeiro título de Grand Slam no Aberto dos Estados Unidos. O escocês está embaladíssimo pelo vice-campeonato de Wimbledon e, principalmente, pelo título olímpico, a maior façanha de sua carreira. E ontem ele estreou no torneio sem sustos. Murray passou pelo russo Alex Bogomolov Jr., por 3 sets a 0, com parciais de 6/2, 6/4 e 6/1.

O placar deixa claro que o escocês não teve muitos problemas para se livrar do russo, mas nem por isso Murray ficou satisfeito com seu desempenho. Ele não esteve preciso nos saques, tanto que teve o serviço quebrado várias vezes por um adversário que é apenas o 73.º colocado do ranking da ATP. No começo do segundo set, logo depois de sofrer mais uma quebra de saque, o número quatro do mundo atirou a raquete ao chão, escancarando sua frustração.

Na próxima rodada, Murray vai enfrentar o croata Ivan Dodig, 118.º colocado do ranking mundial, o que significa que ele não deverá ter problemas para avançar na competição. Ainda assim, os fãs do escocês devem acompanhar o jogo com grande interesse para saber se ele vai mostrar mais controle emocional. A falta de um título de Grand Slam e o peso do favoritismo, que o campeão olímpico não está acostumado a carregar, podem atrapalhar Murray quando ele tiver de enfrentar Roger Federer ou Novak Djokovic, os outros favoritos a levantar a taça - Rafael Nadal não está no Aberto dos Estados Unidos por causa de uma lesão de joelho.

Djokovic, atual campeão, vai estrear hoje no torneio contra o italiano Paolo Lorenzi, 69.º do mundo. A não ser em caso de uma catástrofe, a partida será apenas um treino de luxo para o sérvio, que está com a vantagem de não ter Federer ou Murray em seu lado da chave.

O segundo dia de disputa do Aberto dos Estados Unidos terá também o início da aventura brasileira. Ao meio-dia (horário de Brasília), Thomaz Bellucci vai estrear contra o espanhol Pablo Andujar, jogador que ele derrotou nas três vezes em que os dois se enfrentaram. E Rogério Silva, por volta das 16h, jogará contra o russo Teymuraz Gabashivili.

Na chave feminina, a australiana Samantha Stosur, atual campeã do torneio, estreou com uma fácil vitória sobre a croata Petra Martic por 2 a 0, com parciais de 6/1 e 6/1. Quem também não teve muito trabalho para chegar à segunda rodada foi a russa Maria Sharapova, cabeça de chave número três, que venceu a húngara Melinda Czink também por 2 a 0 (6/2 e 6/2).

Estrelas. Sharapova será uma das atrações de um torneio de exibição que será disputado em São Paulo no começo de dezembro. Ela terá a companhia de Serena Williams, uma das maiores jogadoras da história e atual campeã olímpica e de Wimbledon, Victoria Azarenka, número um do mundo, e Caroline Wozniacki, ex-líder do ranking da WTA.

As quatro serão coadjuvantes da primeira visita de Roger Federer ao País. O suíço jogará aqui contra Bellucci e o francês Jo-Wilfried Tsonga. Os jogos serão no Ginásio do Ibirapuera, entre os dias 6 e 8 de dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.