Reuters
Reuters

Na Argentina, Messi promete 'mudar chip' para Copa do Mundo

Atacante chega ao Mundial depois de um ano sem conquistas e com muitas lesões

Agência Estado

20 de maio de 2014 | 11h00

BUENOS AIRES - Acostumado a muitas conquistas pelo Barcelona, Lionel Messi teve que se acostumar com uma realidade diferente na última temporada. O clube catalão faturou apenas a Supercopa da Espanha, ainda em agosto do ano passado, e depois fracassou na Liga dos Campeões, no Campeonato Espanhol e na Copa do Rei. O próprio atacante teve um desempenho muito abaixo do esperado, sofreu com lesões e não foi o mesmo de outros anos.

Mas tudo isso ficou para trás. Nesta terça-feira pela manhã, Messi desembarcou em Buenos Aires para iniciar a preparação para a Copa do Mundo e garantiu que "mudará o chip" para a competição. "Chego à seleção e mudo o chip. Muitas vezes foi o contrário, ia a Barcelona e jogava bem, esperamos que dessa vez quando me juntar na concentração a meus amigos vai ser outra história."

A temporada ruim no Barcelona gerou preocupação nos torcedores argentinos, que temem um Messi abaixo do esperado também na seleção, mas o jogador tranquilizou. "Não foi um dos meus melhores anos, gostaria de terminar de outra forma, mas foi uma baixa do grupo. Sei o que posso dar, estou tranquilo, tenho vontade de começar a treinar. Na preparação vai ser tudo novo", afirmou.

Messi agora terá seis dias para descansar. Ele ficará até o final desta semana com sua família em Rosário, para depois, na segunda-feira, se apresentar ao técnico Alejandro Sabella e iniciar a preparação com a seleção argentina no Centro de Treinamento de Ezeiza, em Buenos Aires. Os argentinos estreiam na Copa do Mundo no dia 15 de junho, contra a Bósnia, no Maracanã.

Para fazer uma boa preparação e chegar bem no Brasil, o astro já sabe o que será necessário. "Desconectar de tudo e desfrutar com minha gente vai me fazer bem. Temos um grande grupo, todos chegamos bem. Espero que possamos cumprir o objetivo e que possamos chegar onde pretendemos."

Apesar de admitir a dificuldade de jogar no Brasil, até pela rivalidade histórica entre os países, Messi disse que a torcida Argentina pode fazer a diferença a favor de sua seleção. "O Mundial é algo muito importante para nós. Vai ser complicado por ser no Brasil, mas a gente está perto, vai estar cheio de argentinos. Estamos pertinho, com muita vontade de que dê certo", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.