Na Colômbia, cidade do Once Caldas proibe organizadas do Millonarios por 5 anos

As brigas entre torcidas não são exclusividade dos estádios brasileiros. Se em São Paulo o governo do estado decidiu terminar que todos os clássicos até o fim do ano aconteçam com torcida única, na Colômbia a postura do poder público é ainda mais rígida. Nesta terça-feira, a cidade de Manizales, casa do Once Caldas, proibiu, pelos próximos cinco anos, a entrada de torcedores organizados do Millonarios, da capital Bogotá.

Agência Estado, Estadão Conteúdo

05 de abril de 2016 | 19h01

No domingo, assim como aconteceu em São Paulo antes e depois de Palmeiras x Corinthians, torcedores do Once Caldas e do Millonarios se enfrentaram pelas ruas de Manizales. Nesta terça, veio a reação, o "fechamento de fronteiras", com anunciou o secretário de governo John Hebert Zamora.

"Esperamos que a punição seja exemplar para que o resto das barras (torcidas organizadas) do país perceba que aqui (em Manizales) queremos o futebol com convivência sadia e paz", disse o diretor executivo do Once Caldas.

A decisão conta com o apoio inclusive da direção do Millonarios: "Definitivamente temos que evitar a violência nos estádios e acabar com isso de gangue que está acontecendo em torno da torcida, com a desculpa de defender a cor e a camiseta de qualquer torcida", disse o presidente do clube, Enrique Camacho, à Rádio Caracol.

Na quinta-feira, quando o Millonarios jogou em casa, os "barras' do clube proibiram a entrada no estádio El Campín de qualquer torcedor que não vestisse a camiseta azul do clube no clássico contra o Atlético Nacional, da rival Medellín.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.