Na Copa Petrobras, Guga volta aos jogos de simples

Um dia depois de ser derrotado nas duplas, jogando ao lado de Marcelo Melo, enfim Gustavo Kuerten vai voltar a fazer o que mais gosta: jogar tênis. Depois de nove meses sem participar de uma competição oficial, chega a hora da verdade para o tricampeão de Roland Garros, sem mais declarações otimistas, planos ou promessas.Por volta das 22 horas desta terça-feira (horário de Brasília), ele entra em quadra no clube Rakiura, em Assunção, no Paraguai, para sua estréia na quinta e última etapa da Copa Petrobras. Vai enfrentar um adversário em ritmo de competição, com muita vontade e disposto a vencer o ex-número 1 do mundo: o austríaco Rainer Eitzinger.Na segunda-feira à noite, Guga sentiu a falta de ritmo e de entrosamento com Melo, e a dupla caiu em dois sets (6/2 e 6/2) diante dos trambém brasileiros Alexandre Simoni e Marcos Hocevar. ?A ansiedade já diminuiu um pouco, mas a adrenalina continua lá em cima?, disse Guga, depois de treinar, debaixo do sol forte das 13 horas em Assunção, com Melo o técnico Larri Passos. ?É bom sentir novamente o clima de competição e, embora não conheça o meu adversário, acho que vou precisar de uma boa estratégia?.Durante os treinamentos, Guga não deixou transparecer qualquer possibilidade de estar sentindo dores no quadril. Em outros tempos era comum vê-lo com a mão no local, puxando o calção, alongando as costas. Agora movimentou-se com naturalidade, sem deixar evidente algum incômodo.O prestígio de Guga continua em alta, pelo menos na América do Sul. Sua chegada ao Paraguai teve uma boa repercussão, ganhando noticiário nos jornais. Os sites internacionais também deram destaque à volta de Guga, que aos 30 anos busca um dos maiores desafios de sua carreira.O desempenho de Guga ainda é uma incógnita. O técnico Larri Passos tomou todos os cuidados para que seu pupilo possa fazer um bom papel. Exigiu bastante de seu jogador desde a chegada em Assunção. O jogo contra Eltzinger promete ser um belo teste: o tenista austríaco, de 23 anos, número 236 do ranking, é osso duro de roer. Com físico invejável, corre em todas as bolas e gosta de longas trocas de bola.?Resolvei jogar os torneios na América do Sul, pois gosto do saibro. Na Europa agora só há competições em carpete em quadras cobertas?, contou o austríaco. ?Para mim foi uma surpresa saber que vou enfrentar o ex-número 1 do mundo. Não sei como o Guga está jogando atualmente, mas estou bastante ansioso?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.