Na estreia, brasileiras atropelam Camarões

Com dois gols de Marta e uma exibição de gala de Cristiane, seleção goleou as africanas e larga bem no Grupo E

CARDIFF, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2012 | 03h06

O futebol feminino do Brasil começou a caminhada em busca da medalha olímpica em grande estilo: com goleada.

O time nacional, capitaneado por Marta, atropelou Camarões, novata em Jogos Olímpicos, e venceu por 5 a 0 no estádio Milennium, com dois gols da brasileira eleita cinco vezes melhor do mundo. Mas se Marta mostrou o faro para o gol, foram as jogadas de bola parada e a entrada da antiga parceira Cristiane que fizeram a diferença para o Brasil.

O time do técnico Jorge Barcelos demorou para engrenar. Nos primeiros minutos chegou a ser acuado pela equipe africana, que apertava a marcação na frente.

Mas logo na primeira escapada a empolgação camaronesa foi derrubada. Numa cobrança de falta quase na lateral da área, Francielle arriscou e mandou para o gol. A goleira camaronesa aceitou o chute e o Brasil abriu o placar. Pouco depois, outra falha da goleira adversária numa jogada de bola parada e a seleção marcou o segundo. Francielle cobrou escanteio e Renata Costa cabeceou no meio do gol, em cima da goleira, que não pegou.

A gol deu ao Brasil boa vantagem que embora tenha sido obtido bastante cedo parecia suficiente para assegurar o triunfo na estreia. A ponto de o time desacelerar o jogo e passar o resto do primeiro tempo sem atacar.

As coisas mudaram na etapa final depois que Barcelos chamou Cristiane para entrar em campo. A atacante, que vinha de contusão e ficou fora dos últimos amistosos na fase final de preparação da seleção, em Teresópolis, mostrou que ainda é a melhor em sua posição. Ela participou dos três gols do Brasil no segundo tempo. Primeiro, ela começou a jogada que resultou em pênalti em cima da craque da seleção. A camisa 10 bateu mal, no meio do gol, mas converteu.

Depois, Cristiane marcou ela mesmo um golaço - seu 11.º em olimpíadas, um recorde - com drible na goleira e batida rasteira. Nos outros dois, ela participou como parceira de Marta. Foi ela quem começou a jogada que resultou em pênalti sobre Marta - a camisa 10 bateu mal, no meio do gol, mas converteu.

O quinto gol novamente começou com jogada individual de Cristiane. Ela arrancou pelo lado esquerdo, entrou na área e bateu para o gol, mesmo sem ângulo. A defensora de Camarões evitou que a bola entrasse, mas a desviou nos pés de Marta, que, sem marcação, não teve dificuldade de mandar para a rede.

"Fizemos uma boa partida, foi importante fazer cinco gols. Mas a gente sabe que foi apenas um primeiro passo e que temos que melhorar ainda para disputar a medalha de ouro", disse Marta, que admitiu ter batido mal o pênalti e que a comemoração dos gols com dança foi homenagem a Elaine, cortada da seleção.

"É uma música que a Elaine cantava e ensinou a gente a dançar. Já vim com isso na cabeça, de fazer essa homenagem a ela."

EUA, de virada. Se para o Brasil a estreia foi tranquila, para a seleção dos Estados Unidos o primeiro jogo não foi nada fácil.

As atuais campeãs olímpicas penaram para virar o jogo e bater a França. O time norte-americano chegou a ficar atrás no placar por 2 a 0, mas conseguiu vencer por 4 a 2. O destaque do jogo foi Alex Morgan. Em sua primeira Olimpíada, a atacante do time dos EUA marcou dois gols.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.