Na final, Vasco e Coritiba jogam pela Libertadores

Cariocas fazem 2 a 0 no Avaí e paranaenses batem Ceará por 1 a 0; Campeão se garante no torneio continental

Bruno Lousada e Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2011 | 00h00

O Vasco teve problemas em casa contra o Avaí, mas se recuperou ontem em plena Ressacada e, com vitória por 2 a 0, se garantiu na final da Copa do Brasil. O adversário na decisão será o Coritiba, que tirou proveito de jogar em casa e bateu o Ceará por 1 a 0.

A final será disputada em duas partidas, a partir da próxima quarta-feira. O campeão será definido no dia 8 de junho e será o primeiro representante brasileiro na Taça Libertadores de 2012.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai sortear hoje os mandos de campo.

Nenhum dos dois times venceu a competição, disputada desde 1989. O Vasco foi vice-campeão em 2007, quando perdeu o título para o rival Flamengo. A melhor posição do Coritiba tinha sido em 2009, quando chegou às semifinais e perdeu a vaga na decisão para o Internacional, que depois viu o título ir para as mãos do Corinthians.

O Vasco teve ontem um primeiro tempo irrepreensível, daqueles que deixam o torcedor esbanjando confiança. Estádio lotado, torcida fazendo pressão, Avaí motivado; nada disso atrapalhou o time cruzmaltino, que começou o jogo da melhor maneira possível. Ou seja, com gol. Após cobrança de falta do meia Felipe, o zagueiro Revson tentou cortar e marcou contra.

A equipe carioca não diminuiu o ritmo. Na verdade, controlou a partida e obrigou o goleiro Renan a trabalhar bastante. De tanto insistir, fez o segundo. O atacante Alecsandro deu belo passe para Diego Souza finalizar com categoria, encobrindo o goleiro.

Com os 2 a 0 no placar, levando-se em consideração que houve empate por 1 a 1 no confronto de ida, em São Januário, o Avaí tinha de virar a partida para seguir vivo. Mas não teve força nem futebol diante de um Vasco inspiradíssimo.

Já o Coritiba confirmou o bom momento fazendo 1 a 0 no Ceará e se classificou, já que, em Fortaleza, houve empate por 0 a 0.

"Entramos para a história do clube em um ano que está sendo maravilhoso", comemorou o meia Rafinha, que puxou o contra-ataque que originou o gol de Anderson Aquino, no segundo tempo. "Fui eu quem fiz o gol, mas o Coritiba é quem venceu", disse o artilheiro.

Somente depois do gol o Ceará resolveu deixar a defesa. O jogo ganhou em velocidade, mas o Coritiba teve tranquilidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.