Na raça, Bota acaba com sina de vice

Com gols dos atacantes hermanos, Alvinegro derrota o Fla por 2 a 1, vence também o 2º turno e levanta a taça Estadual

Sílvio Barsetti do Rio, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2010 | 00h00

Num jogo emocionante, o Botafogo venceu o Flamengo por 2 a 1, conquistou seu 19.º título do Campeonato Carioca e quebrou uma escrita que durava três anos seguidos ? a de não conseguir derrotar o Rubro-Negro na fase final da competição. O Alvinegro foi vice-campeão em 2007, 2008 e no ano passado. Os dois reforços estrangeiros da equipe ? o argentino Herrera e o uruguaio Sebastian Loco Abreu ? deixaram o gramado como os heróis do Botafogo. Marcaram os gols do time. Vagner Love descontou para o Flamengo.

Envolvido em várias polêmicas nas últimas semanas, o atacante Adriano perdeu um pênalti e impediu a reação rubro-negra. Deixou o campo vaiado e sob ofensas dos flamenguistas.

Com a vitória, o Alvinegro se sagrou campeão da Taça Rio, que corresponde ao segundo turno. Como já havia vencido a Taça Guanabara (primeiro turno), evitou os dois jogos finais da grande decisão do Carioca. "Tudo fruto de um trabalho sério, onde a confiança jamais foi quebrada. Quero ganhar o Carioca por mais dez anos", disse o técnico Joel Santana, que comemorou ontem seu oitavo título da competição ? três pelo Vasco, dois no comando do Flamengo, um no Fluminense e ainda outro com o Botafogo, em 1997.

Do caos ao topo do pódio. O Botafogo começou a arrancada rumo ao título ainda no primeiro turno, após sofrer uma goleada humilhante do Vasco por 6 a 0, em seu campo, no Engenhão. O vexame culminou com a demissão de Estevam Soares. Para substituí-lo, Joel Santana foi contratado, após passagem desgastante como técnico da seleção da África do Sul. Desde então, o Alvinegro renasceu.

A de ontem surgiu principalmente da garra dos jogadores. Houve destaques individuais, como os autores dos gols e o goleiro Jefferson, que defendeu o pênalti de Adriano e ainda fez mais três ótimas defesas. O Flamengo pagou o preço pela soberba de alguns de seus atletas. O time perdeu por causa de dois pênaltis cometidos infantilmente pela zaga em bolas alçadas sobre a área. No primeiro, Herrera cobrou rasteiro e enganou Bruno.

O Fla partiu para o ataque e Vágner Love empatou aos 45 do primeiro tempo. Mas o Botafogo continuava com mais vontade e aplicação. O gol do título veio num pênalti de Maldonado em Herrera, bem batido por Sebastian Abreu. "Estou registrando toda essa festa com minha câmera para fazer um vídeo desse meu momento incrível no futebol brasileiro", disse o jogador uruguaio, durante a comemoração em campo.

Nervosismo. Nos últimos minutos, a aflição tomou conta dos dois lados. O Botafogo rifava a bola e o Flamengo sufocava o rival, embalado pelo apoio da torcida. Num contra-ataque, Caio teve a chance de fazer o terceiro gol e acabar com a agonia botafoguense. Não foi feliz e acabou isolando a bola. Logo, porém, estaria abraçado aos colegas para ouvir das arquibancadas o hino do Botafogo, composto por Lamartine Babo, cuja letra diz "foste herói em cada jogo".

Do Maracanã, uma hora depois da conquista, os torcedores improvisaram uma enorme carreata até a sede do clube, em General Severiano. Houve "buzinaço" pelas ruas do centro e da zona sul da cidade e a festa prometia invadir a madrugada do Rio.

O Botafogo pretende fazer o jogo das faixas domingo, no Engenhão, e vai convidar o Corinthians. As duas equipes têm o mesmo patrocinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.