Ricardo Rimoli/Lancepress
Ricardo Rimoli/Lancepress

Na raça, Corinthians larga com virada sobre o Grêmio no Olímpico

Alvinegro volta de Porto Alegre com três pontos na estreia, atuação firme do setor defensivo e o oportunismo de Liedson para conseguir a vitória

Elder Ogliari, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2011 | 00h00

O Corinthians venceu o Grêmio por 2 a 1, de virada, dentro do Estádio Olímpico, ontem, na rodada de abertura do Campeonato Brasileiro. Liedson teve participação decisiva na construção da vantagem em jogo equilibrado e de pouca qualidade técnica.

Isolado entre os zagueiros tricolores, ele passou boa parte do primeiro tempo pedindo que seus companheiros fizessem a bola chegar ao ataque.

Na etapa final, sofreu o pênalti que levou o time ao empate e marcou o gol da vitória. Apesar de destacar-se, saiu de campo dividindo o resultado com toda a equipe. "Sabemos que temos um grupo forte e nunca deixamos de acreditar", ressaltou. "O mérito é de todos. No segundo gol, tive a felicidade de ganhar a bola às costas dos zagueiros."

Com esquemas muito parecidos, os dois times foram eficientes para anular o adversário e pouco criativos para se desvencilhar da marcação que recebiam durante a maior parte da partida.

Os quatro jogadores de meio-campo do Grêmio conseguiram controlar os quatro do Corinthians e vice-versa. Tanto é que o Tricolor gaúcho só conseguiu assustar a defesa visitante duas vezes durante todo o primeiro tempo.

Em uma delas, aos 19 minutos, Douglas cobrou escanteio diretamente para o gol, mas Júlio César estava atento e afastou a bola. Na outra, aos 29, Leandro arrancou pela ponta e passou a bola para Júnior Viçosa, que concluiu de virada, por cima.

Logo depois, aos 32, o Corinthians aproveitou um erro de Adilson para tomar a bola e contra-atacar com perigo. Liedson avançou em velocidade e lançou Willian, que chutou para fora.

No final do primeiro tempo, o técnico Renato Gaúcho foi forçado a mudar o Grêmio em três posições. O zagueiro Leandro saiu do campo diretamente para um hospital, com suspeita de ruptura nos ligamentos ou fratura. O meia Escudero entrou no time, Lúcio recuou do meio-campo para a lateral-esquerda e Neuton saiu da lateral-esquerda e foi para a zaga.

No início do segundo tempo, Tite trocou Morais por Danilo.

As trocas não mudaram o ritmo. O jogo seguiu equilibrado, com poucas chances para cada lado. Até que, aos 12 minutos, em sua jogada característica, o jovem Leandro arrancou para dentro da área adversária e só teve sua trajetória interrompida por um toque de Leandro Castán, que o fez cair ao chão.

Os corintianos reclamaram, mas o juiz confirmou o pênalti. Douglas cobrou e abriu o placar.

Reação. O Corinthians reagiu rapidamente e começou a criar as chances que o levaram à virada. Aos 17 minutos, Paulinho pegou o rebote e acertou um chute que venceu o goleiro Victor, mas foi salvo pelo zagueiro Neuton.

Aos 20, Liedson entrou na área e foi derrubado quando tentava driblar Lúcio. Chicão cobrou o pênalti e empatou.

Após cobrança de lateral, aos 27, Danilo mandou de cabeça a bola para dentro da área. Liedson surgiu atrás dos zagueiros e, de meia virada, marcou o segundo gol corintiano.

No restante do jogo, o Grêmio tentou pressionar, mas foi desorganizado, errou muitos passes e se expôs ao contra-ataque.

O Corinthians se fechou bem e poderia ter ampliado.

Nos minutos finais da partida, Paulinho acertou um chute no canto, que Victor defendeu, espalmando para escanteio.

No fim, os cerca de 1,5 mil corintianos que foram ao estádio apoiar o time saíram festejando a boa largada no Campeonato Brasileiro, enquanto os 21 mil gremistas vaiavam a diretoria do clube e os jogadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.