Na reta final, artilharia pesada vem aí

Sem jogar desde o início do ano, Luis Fabiano e Adriano reforçam seus times na fase decisiva da competição

ALESSANDRO LUCCHETTI , PAULO FAVERO, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2011 | 03h05

A contratação mais cara da história do São Paulo está contando as horas para entrar em campo. Quem garante é João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol do clube. Para ele, Luis Fabiano está faminto por gols. "Ele é um jogador maduro e está sentindo uma motivação muito grande. Parece um leão querendo arrebentar a grade da jaula. Ele não está ansioso, está impaciente", diz.

O jogador suportou os últimos seis meses de trabalho intenso na fisioterapia para se recuperar. Teve altos e baixos, conviveu com dúvidas, mas quer mostrar dentro de campo que o São Paulo fez bem em colocar a mão no bolso e tirá-lo do Sevilla, da Espanha. "Ele está totalmente recuperado do ponto de vista físico, mas ao voltar as coisas não acontecem automaticamente, ele vai evoluir", afirma João Paulo.

O dirigente lembra que, apesar do valor alto que o clube do Morumbi pagou pelo Fabuloso (cerca de R$ 17,7 milhões), a negociação planejada pelo diretor de futebol Adalberto Batista foi muito bem feita. "A equação financeira para trazê-lo foi muito inteligente. Apesar de ser um valor alto, o custo foi diluído ao longo de três anos, em parcelas mensais", explica.

E foi justamente por isso que o São Paulo não quis pular etapas para colocar o atleta em campo. Esperou pacientemente até que não houvesse qualquer sinal de dor. Agora, o dirigente acha que o time só tem a melhorar com Luis Fabiano. "Nossa expectativa é que ele potencialize o time. O futebol brasileiro se ressente de jogadores artilheiros. Ele já é consagrado, está ambientado ao São Paulo e é um ídolo."

A estreia de Adriano é um assunto mais complicado. Até ontem havia a expectativa de que ele pudesse jogar, domingo, contra o Vasco.

Mas depois de várias declarações contraditórias de integrantes da própria comissão técnica, ontem o clube se pronunciou.

"O Adriano está melhorando, mas falta um pouquinho ali, falta um pouquinho aqui", disse o preparador físico Fabio Mahseredjian, em entrevista coletiva no CT. "Vamos dar um basta nessa expectativa e manter a previsão do dia 9 de outubro. Ele não vai para o Rio de Janeiro."

Adriano já trabalha com bola. Ontem ele se aqueceu, treinou finalizações em separado enquanto os outros jogadores estavam na primeira parte do coletivo e depois se juntou a eles.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.