Na seleção, atacantes brasileiros são ignorados

Apenas Lúcio e Maicon aparecem na lista dos 11 melhores de 2010. Para Blatter, reflexo do estilo defensivo de Dunga

Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2011 | 00h00

Nenhum artilheiro, nenhum atacante. Lúcio e Maicon foram os únicos brasileiros a serem escolhidos ontem pela Fifa como os melhores do mundo, entrando para a seleção dos onze melhores de 2010, dominada por jogadores do Barcelona.

A escolha dos dois zagueiros confirma a crítica que o presidente da Fifa, Joseph Blatter, havia feito há poucos dias ao apontar que isso era o reflexo do estilo Dunga, criticado por muitos na esfera internacional por ter tirado o caráter ofensivo do futebol brasileiro.

O Brasil é o País que mais ganhou o prêmio de melhor jogador do mundo e a presença de brasileiros era uma constante nas festas da Fifa. Mas, salvo no caso de Roberto Carlos que chegou a ser o segundo melhor do mundo, todos os vencedores eram atacantes, como Romário, Rivaldo, Ronaldo, Kaká e Ronaldinho Gaúcho.

Neste ano, os escolhidos são zagueiros. Lúcio e Maicon venceram a Liga dos Campeões pela Inter de Milão em 2010, além da Copa da Itália e do Campeonato Italiano. Pela seleção brasileira, porém, não conseguiram segurar o ataque holandês nas quartas de final da Copa do Mundo.

Kaká, Robinho, Pato... Nenhum apareceu ontem entre os mais votados. Quem dominou a seleção mundial foi a Espanha, com seis jogadores: Casillas, Piqué, Puyol, Xavi, Iniesta e David Villa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.