Na sexta Olimpíada, Rodrigo Pessoa será cavaleiro e técnico da equipe de saltos

Brasileiro acumula funções em Londres e será porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura

Agência Estado

23 de julho de 2012 | 12h48

SÃO PAULO - Em sua sexta participação olímpica, Rodrigo Pessoa vai acumular funções. Depois de cinco Jogos apenas como cavaleiro, em Londres ele será também o técnico da equipe de saltos. Além disso, será ele o responsável por carregar a bandeira do Brasil na Cerimônia de Abertura, na sexta-feira.

“É uma grande emoção", comenta o atleta que tem três medalhas olímpicas, uma delas de ouro. Tamanha experiência e representatividade no esporte fizeram ele ser escolhido pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) como técnico de seus colegas, ocupando o posto que um dia foi do seu pai, Nelson Pessoa. Ele descarta uma pressão maior sobre o seu trabalho.

“É uma posição em que a pressão sempre aparece, a cobrança é grande, mas no final são os atletas que fazem a diferença. O técnico está ali para proteger o atleta de tomar muita pancada antes da competição”, explica Rodrigo Pessoa. O novo técnico do time brasileiro de saltos lembrou ainda que muitas vezes o homem fica de mãos atadas diante da situação do seu animal. "O fator cavalo é sempre bastante frustrante, porque você não pode controlar, não depende só de você. É preciso ter paciência e conhecimento do problema. Mas o grupo está com um espírito muito bacana.”

Campeão olímpico em Atenas/2004 como atleta, Rodrigo Pessoa prevê uma disputa acirrada pela medalha em Londres. E ressalta a necessidade de contar com a sorte para voltar para casa com um bom resultado na bagagem. “Em uma Olimpíada, o nível é tão alto que, se você não tem um pouco de sorte naquele dia, pode passar de terceiro para oitavo em um minuto. Vamos fazer o melhor possível para que tudo dê certo no dia e contar com esse fator sorte. O percurso, o grau de dificuldade, a gente nunca sabe ao certo como vai ser. Mas temos um grupo que vai dar tudo como sempre e a expectativa é boa."

EMOÇÃO

Nesta segunda-feira, Rodrigo Pessoa deixou a Bélgica, onde treina a equipe de saltos, e rumou para Londres. Ali, participou da cerimônia de hasteamento da bandeira do Brasil na Vila Olímpica. Uma pequena amostra do que vai ser carregar essa mesma bandeira na Cerimônia de Abertura, na sexta. "É minha sexta Olimpíada e todas elas são diferentes, mas essa realmente vai ser especial. É uma honra muito grande carregar a bandeira do Brasil na abertura, na frente dos nossos atletas. Vou tentar me divertir ao máximo até a hora da competição e levar todos esses momentos de lembrança”, completou o cavaleiro de 39 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.