Rebecca Blackwell/AP
Rebecca Blackwell/AP

Brasil bate Porto Rico de virada e está na final do vôlei feminino

Na superação, seleção sai de 0 a 2 para fechar jogo em 3 a 2

PAULO FAVERO, ENVIADO ESPECIAL A TORONTO, O Estado de S. Paulo

23 de julho de 2015 | 22h54

De virada, o Brasil conquistou a vaga na final feminina do vôlei nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, ao superar Porto Rico por 3 sets a 2 - com parciais de 18/25, 24/26, 25/22, 25/19 e 15/11. A decisão será neste sábado, às 21h30 (de Brasília). Nesta sexta, a seleção masculina também encara Porto Rico, às 22 horas, por um lugar na decisão. "O time está oscilando muito, mas a partir do terceiro set nos encontramos no jogo", afirmou o técnico José Roberto Guimarães.

No primeiro set, o Brasil cometeu erros incríveis, não acertou o bloqueio e a recepção não esteve bem. Com isso, Porto Rico foi abrindo vantagem, colocou cinco pontos na frente, depois sete e administrou até fechar em 25 a 18, em 26 minutos.

Tentando achar um jeito de melhorar a equipe, o técnico José Roberto Guimarães colocou em quadra no início do segundo set a oposto Rosamaria. Ela ajudou a equilibrar o duelo com ataques potentes, mas mesmo assim o Brasil bobeou no fim e Porto Rico fechou em 26 a 24, desta vez em 31 minutos. "Começamos mal, com erros de passe, e isso atrapalhou nosso ataque e defesa. Mas depois começamos a forçar o saque e as coisas mudaram", disse o treinador.

Do outro lado, Cruz e Ocasio continuavam a fazer estragos na defesa brasileira. O Brasil não conseguia encaixar o bloqueio nas duas jogadoras e isso ajudava Porto Rico a estar sempre pontuando. Outro detalhe é que o saque das adversárias chegava com força e a seleção brasileira tinha dificuldade para acertar o passe.

No terceiro set, o Brasil mudou a postura e passou a ser mais agressivo no ataque. A líbero Camila Brait defendeu muito e ajudou o time a fechar por 25 a 22, em 30 minutos. A equipe manteve o embalo no quarto set, fez 25 a 19 graças aos ataques de Fê Garay e levou o jogo para o quinto e decisivo set.

No tie-break, Porto Rico começou melhor e abriu quatro pontos de vantagem. Mas quando Ana Tiemi foi para o saque, a equipe deslanchou e virou o marcador. A partir daí, manteve a vantagem e fechou o jogo com muita vibração em 15 a 11. Fê Garay, com 28 pontos, foi a maior pontuadora da partida. "Ganhamos no coletivo, pois não faço pontos sem a ajuda das companheiras", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.