Na última curva, muro 'abate' estreante

J.R. Hildebrand tinha a vitória na mão, mas bate a poucos metros da bandeirada, para sorte de Dan Wheldon

, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2011 | 00h00

A corrida de comemoração do centésimo aniversário das 500 Milhas de Indianápolis, ontem, não poderia ter final mais emocionante do que o que marcou a vitória de Dan Wheldon. O britânico da equipe Bryan Herta Autosport venceu graças a um erro inacreditável do estreante J.R. Hildebrand nos metros finais.

O americano viu a bolada de mais de US$ 1 milhão destinada ao ganhador fugir de suas mãos ao bater no muro na última curva. Ele liderava a corrida e Wheldon se aproveitou para ultrapassá-lo. Hildebrand, da Panther Racing, ainda conseguiu receber a bandeirada em segundo, arrastando-se contra o muro.

O desfecho inusitado combinou com uma corrida cheia de alternativas. Vários pilotos chegaram às voltas finais brigando pela liderança, definida na habilidade para administrar o consumo de combustível.

Na última volta, Hildebrand assumiu a primeira colocação. Parecia impossível perdê-la, por estar 3 segundos à frente de Wheldon. Mas acabou encontrando o muro pela frente na última curva do oval, em um ponto onde já era possível avistar a linha de chegada. "O sentimento é de desamparo", descreveu.

A vitória de Wheldon tem outra situação incomum. O britânico não está disputando a temporada da Indy. Tinha contrato com a equipe de Bryan Herta apenas para as 500 milhas.

Entre os brasileiros, o melhor foi Tony Kanaan, quarto lugar, atrás de Graham Rahal. Vitor Meira foi o 15.º, Helio Castroneves, o 17.º, e Bia Figueiredo, a 21.ª.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.