Robson Fernandjes/AE
Robson Fernandjes/AE

Na Vila, Santos tenta por mão na vaga da Libertadores

Objetivo é vencer América por diferença de pelo menos dois gols, o que deixaria o jogo da volta menos dramático no México. Times terão força máxima

SANCHES FILHO - Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2011 | 00h00

SANTOS - O Santos vai tentar derrotar o América, do México, por mais de um gol de diferença, nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília, com transmissão do estadão.com.br e da rádio Estadão ESPN), na Vila Belmiro, para deixar bem encaminhada a classificação às quartas de final da Copa Libertadores. Jogadores e comissão técnica estão conscientes: a oportunidade maior de garantir a vaga é nesta quarta, em casa.

Se o objetivo for atingido, a equipe entrará mais confiante e menos pressionada para o confronto com o São Paulo, sábado à tarde, no Morumbi, pela semifinal do Campeonato Paulista, já que será menor a responsabilidade no jogo de volta diante dos mexicanos, terça-feira, em Querétaro, a 200 quilômetros da Cidade do México e 1800 metros acima do nível do mar.

Com a chegada de Muricy Ramalho, contratado no começo do mês, o time de Neymar e Paulo Henrique Ganso passou a ser mais competitivo e eficiente na defesa, sem perder a força ofensiva. Fez nove gols, sofreu apenas dois nos últimos cinco jogos e está mais equilibrado em todos os sentidos, até emocionalmente.

Após a vitória por 2 a 1 contra o Cerro Porteño, em Assunção, o time se convenceu de sua capacidade, tornando-se capaz de superar qualquer desafio. É um Santos que joga o futebol mais bonito do País e que, em alguns momentos, chega a lembrar a geração de ouro, com Pelé à frente, porém diferente do das goleadas de 2010.

No time dos últimos jogos, os laterais primeiro marcam e aparecem menos, e só alternadamente, no ataque. E para os que contestam o futebol sem brilho de Elano nas partidas mais recentes, o treinador responde que em meio a tantos jogadores de velocidade é preciso que alguém prenda mais a bola, quebre o ritmo "e pense o jogo".

Muricy vai implantando a sua filosofia de trabalho aos poucos. Com um jogo a cada três dias e sem espaço para treinos, o novo treinador orienta a colocação dos jogadores em ensaios de pouca duração, em campos reduzidos. O resto é mais na base da conversa. O treinador compreendeu a necessidade de mudar o comportamento dos mais novos, que se irritavam com marcação mais dura, caiam nas provocações dos adversários e exageravam nas reclamações contra a arbitragem.

Escalação ideal. E deu resultado. Depois das expulsões de Neymar, Zé Eduardo e Elano contra o Colo Colo, na Vila, ninguém mais ficou fora por cartão. E como também não tem jogador importante machucado, ele poderá repetir pela terceira vez consecutiva a escalação considerada a ideal.

"Isso é bom porque melhora o entrosamento da equipe", diz Muricy. Contrariando a fama de marrento e de exigente ao extremo, o novo comandante vem até surpreendendo o grupo com algumas concessões.

Uma delas é diminuir o tempo de concentração. Normalmente os jogadores eram recolhidos ao Hotel Recanto dos Alvinegros, no CT Rei Pelé, dois dias antes dos jogos, mas, por decisão de Muricy, a concentração para enfrentar a Ponte Preta, sábado passado, pelas quartas de final do Campeonato Paulista, começou só na tarde da sexta-feira. "É importante que o atleta passe um pouco mais de tempo ao lado dos familiares. A rotina de treinar, concentrar, viajar e jogar provoca desgaste. É preciso mais convívio social", explicou o treinador.

América. A equipe mexicana chegou ao Brasil com sua força máxima e, segundo seus jogadores e o técnico chileno Carlos Reinoso, disposto a provocar uma surpresa na Vila Belmiro. O treinador disse conhecer bem o Santos e descartou marcação especial em Ganso e Neymar. "O Santos é um grande time e tem outros jogadores perigosos também."

SANTOS - Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Danilo, Elano e Ganso; Neymar e Zé Eduardo. Técnico: Muricy Ramalho.

AMÉRICA-MEX - Ochoa; Layun, Mosquera, Valenzuela e Rojas; Pardo, Oliveira, Rosinei e Montenegro; Sánchez e Vuoso. Técnico: Carlos Reinoso.

Árbitro - Jorge Larrionda (URU); Horário - 21h50 (de Brasília); TV - SporTV e BandSports; Rádio - Estadão ESPN (AM 700/FM 92,9); Local - Vila Belmiro, em Santos (SP).

ESPN - Rosinei ressalta marcação do América contra o Santos

Veja também:

linkAgentes de Ganso se reúnem com dirigentes do Milan

linkElano atribui boa fase do Santos à chegada de Muricy Ramalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.