Na volta de Tyson Gay, Gatlin faz melhor tempo do ano

Nesta quinta-feira, na volta de Tyson Gay ao atletismo pouco mais de um ano depois de sua última competição, o norte-americano, que ficou suspenso por doping, acabou com a medalha de prata nos 100 metros na etapa de Lausanne (Suíça) da Diamond League, principal circuito mundial do atletismo.

AE, Agência Estado

03 de julho de 2014 | 17h21

Gay, que não competia desde o Campeonato Jamaicano, em maio do ano passado, fez o terceiro melhor tempo do mundo na temporada, com 9s93. Mas ele não foi páreo para o também norte-americano Justin Gatlin, que venceu com 9s80 e voltou a fazer a melhor marca de 2014, comprovando que deverá ser o grande rival de Usain Bolt neste ano - o jamaicano ainda não estreou.

Gatlin tem cinco dos seis melhores resultados da temporada e havia perdido a liderança do ranking para Richard Thompson, de Trinidad & Tobago, que correu a 9s82 uma prova em Port of Spain, capital de seu país, há 10 dias. O norte-americano, porém, já correu cinco vezes este ano abaixo dos 9s93 feitos por Gay nesta quinta.

Campeão olímpico nos 100m em 2004, Gatlin também tem sua carreira manchada por um caso de doping e precisou enfrentar uma suspensão de quatro anos, entre 2006 e 2010. Ele chegou a ser suspenso por oito anos, mas teve sua pena reduzida e voltou a tempo de ganhar o bronze nos Jogos de Londres, em 2012.

OUTRAS PROVAS - Lausanne também viu, nesta quinta-feira, a nova melhor marca do ano nos 400m. Pela primeira vez na história uma competição que não de Mundial ou Olimpíada, dois atletas correram abaixo dos 44 segundos. Melhor para Kirani James, de Granada, venceu com 43s74. A marca é a melhor da sua carreira, do seu país, da história da Diamond League e o mantém na liderança do ranking mundial.

Anteriormente, Kirani James tinha 43s96 como melhor marca da Diamond League e 43s97 como melhor tempo do ano. O norte-americano Lashawn Merritt, que estava empatado na liderança do ranking, correu em 43s92 e fez seu melhor resultado na temporada.

Nos 100m feminino, vitória da líder do ranking mundial Michelle-Lee Ahye, de Trinidad & Tobago, com 10s98, ficando a 0s13 do melhor tempo dela do ano. Murielle Ahouere, da Costa do Marfim, foi segunda colocada, com 10s98, fazendo sua melhor prova na temporada.

SALTO EM ALTURA - Ainda não foi dessa vez que caiu o recorde mundial do cubano Javier Sotomyor, que completa 21 anos este mês. Depois de garantir a vitória com 2,40m, o ucraniano Bogdan Bondarenko, responsável pela segunda melhor marca da história (2,42m), tentou 2,46m, mas errou as três tentativas.

Ivan Ukhov, da Rússia, e Mutaz Essa Barshim, do Catar, que também saltaram a 2,42m nesta temporada, acabaram respectivamente em terceiro e quarto lugar, atrás de Andriy Protsenko, da Ucrânia, que, com 2,40m, bateu seu recorde pessoal e também entrou na briga mais emocionante da temporada 2014 no atletismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.