Divulgação
Divulgação

Nadador paralímpico conta como ataque de tubarão branco mudou sua vida

O ex-salva-vidas Achmat Hassiem foi atacado ao tirar o irmão da mira de um tubarão branco de 4,5 metros.

BBC Brasil, BBC

22 de agosto de 2012 | 07h27

O nadador sul-africano Achmat Hassiem, que perdeu um perna em um ataque de tubarão em 2006, disse à BBC que está treinando para ganhar uma medalha nos Jogos Paralímpicos em Londres e que o ataque, que mudou sua vida, também trouxe compensações.

"Coisas boas aconteceram comigo desde então. Hoje, sou um atleta paralímpico!", disse.

Ele irá competir nas provas de 100 metros borboleta e nos 100 e 400 metros livres.

"Eu sou um dos três melhores do mundo nas minhas competições. O que mais posso querer?", afirmou.

A perna do atleta foi arrancada por um tubarão na praia de Muizenburg, perto da Cidade do Cabo, quando Hassiem, que era salva-vidas, afastou o animal de seu irmão Taariq.

'Som do osso quebrando'

"Um tubarão branco de 4,5 metros chegou perto da praia e estava indo em direção a meu irmão. E é trabalho do irmão mais velho cuidar do mais novo", disse o nadador.

Hassiem, que tinha 24 anos na época, disse que começou a "bater" na água até que o tubarão se aproximou dele, permitindo que Taariq, que tinha 17 anos, fosse salvo.

"Eu disse aos outros salva-vidas que tirassem meu irmão da água. Ficamos só eu e o tubarão e, quando dei por mim, ele agarrou a parte inferior da minha perna direita, me sacudiu e me puxou 50 metros para dentro da água."

Ele disse que lutou com o animal até ouvir "o som do meu osso quebrando". "Quando me libertei, nadei imediatamente para a superfície. A coisa mais importante era a vida do meu irmão. Perder uma perna não é nada", afirmou.

Ele disse estar ansioso pelos Jogos Paralímpicos de Londres 2012, que começam na próxima semana.

"Eu participei dos Jogos de Pequim. Quando saí da piscina, escutar a torcida das pessoas fez meus olhos se encherem d'água. Já posso imaginar como será Londres", diz. BBC Brasil -   Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.