Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Ramon Espinosa/AP
Ramon Espinosa/AP

Nadadora Diana Nyad desiste durante travessia entre Cuba e EUA

Norte-americana passou mais de 60 horas na água antes de abandonar a travessia

TOM BROWN, Reuters

21 de agosto de 2012 | 12h35

MIAMI - A experiente nadadora de longa distância norte-americana Diana Nyad foi retirada do Estreito da Flórida, nesta terça-feira, depois de desistir de sua quarta, e provavelmente última, tentativa de completar a nado os 166 quilômetros que separam Cuba dos Estados Unidos.

A norte-americana, de 62 anos, enfrentou fortes ventanias, mar agitado e águas-vivas, após ter partido de Cuba no sábado. Nyad passou mais de 60 horas na água antes de abandonar a travessia.

O líder da equipe de tripulação e apoio, Mark Sollinger, que acompanhava Nyad em cinco barcos enquanto ela tentava realizar a travessia, disse à CNN que uma poderosa e "extremamente difícil corrente do Golfo" tinha empurrado fortemente Nyad para fora de seu curso.

Ela tinha planejado chegar a algum lugar em Florida Keys na terça-feira, um dia antes de seu aniversário de 63 anos, na quarta-feira, mas levaria mais 28 a 40 horas para completar a travessia e por isso finalmente desistiu, disse Sollinger.

Ele contou que os lábios e o rosto de Nyad estavam muito inchados e que ela estava sofrendo de exaustão. Fora isso, afirmou, ela estava bem para "alguém que tinha acabado de passar 63 horas tentando algo monumental e extremamente perigoso."

Sollinger não deu o tempo exato em que a nadadora foi retirada da água ou identificou a sua localização, mas esses detalhes devem ser anunciados depois.

Se Nyad tivesse completado a travessia, teria alcançado o recorde mundial para o mais longo "nado sem assistência em mar aberto", o que significa sem uma gaiola de proteção. Ao invés da gaiola, um equipamento que emitia uma leve corrente elétrica na água mantinha os tubarões afastados durante a maior parte de sua natação.

Nyad disse a jornalistas em Havana na semana passada que esperava que sua tentativa inspirasse as pessoas da idade dela a continuarem a perseguir seus sonhos.

"Ao invés de ficar no sofá pela vida toda, e deixar este precioso tempo passar, por que não ser ousada, ser fortemente ousada, e sair e perseguir seus sonhos?", disse Nyad, que deixou a natação competitiva há 30 anos e desde então trabalha em televisão e rádio e também como palestrante motivacional.

(Reportagem de Jeff Franks, em Havana)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTENADADORADESISTECUBAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.