Nadadora que perdeu recorde pede regras mais claras

Um dia depois de ter seu recorde mundial dos 50 metros borboleta cassado por ter utilizado dois maiôs diferentes durante a prova, a nadadora sueca Therese Alshammar pediu à Federação Internacional de Natação (Fina) que deixe mais claras aos atletas as novas regras a respeito dos uniformes de competição.

AE-AP, Agencia Estado

18 de março de 2009 | 12h25

"Eu pensava que um simples maiô era apenas um simples maiô para cobrir suas partes íntimas", afirmou a nadadora, que alegou estar usando, por baixo da roupa de competição, um maiô simples. "Mas vi que as coisas já não são bem assim", lamentou.

Therese marcou 25s44 durante as eliminatórias do Campeonato Australiano, que disputa para se preparar para o Campeonato Mundial, que será disputado em julho, em Roma - em 2007, havia anotado 25s46 em Barcelona, recorde que está mantido.

Na semana passada, a Fina anunciou novas regras para o uso de maiôs, proibindo que as roupas auxiliem na flutuação e limitando o uso das roupas, que não poderão passar do tornozelo e do ombro, além de vetar o uso de biquínis e maiôs íntimos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.