Nadal derrota Feijão. Bellucci perde e deixa a quadra vaiado

Espanhol não gostou do nível do jogo no Ibirapuera. Número 1 do País não se conformou com comportamento da torcida

AMANDA ROMANELLI, NATHALIA GARCIA, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2013 | 02h04

Rafael Nadal fez o que dele se esperava: venceu sua partida de estreia na chave de simples do Brasil Open, na noite de ontem, em um Ginásio do Ibirapuera lotado apesar do temporal que atingiu São Paulo. Mas quem saiu maior do torneio, mesmo derrotado, foi o brasileiro João Souza. Feijão, como é conhecido, 140.º do mundo, deu algum trabalho ao espanhol ao perder por 6/3 e 6/4. E saiu da quadra tão aplaudido quanto a estrela da noite.

Mesmo com toda a animação do público, Rafael Nadal disse que, tecnicamente, não foi um grande jogo. "A partida foi complicada. Não foi fantástica para se assistir por causa da altitude e da bola ruim. Estou feliz por estar nas quartas de final."

Feijão não saiu satisfeito com o resultado, mas exalta a experiência. "O jogo foi decidido nos detalhes. Joguei bem, senti a energia do povo, mas saio triste com a derrota", disse o brasileiro, que veio do qualifying e levou uma bronca do árbitro de cadeira por ter pedido apoio da torcida.

Número 1 do País, Thomaz Bellucci não recebeu o mesmo apoio de Feijão. Ao contrário, saiu de quadra vaiado. A má atuação diante do italiano Filippo Volandri, seu carrasco no torneio pelo segundo ano seguido, resultou em derrota por 6/3 e 6/2.

Bellucci se mostrou magoado com a reação das arquibancadas. "É difícil sair de quadra e ser vaiado no meu país. É triste saber que as pessoas não valorizam o nosso trabalho", afirmou o tenista, ao definir o dia como aquele em que "nada dá certo".

Hoje, a partir das 12h, serão definidos os semifinalistas. No primeiro jogo, Simone Bolelli enfrenta Albert Montañes. Em seguida, a surpresa do Brasil Open, o argentino Martin Alund duela com Volandri. A partir das 17h, o tricampeão Nicolas Almagro joga com David Nalbandian, para que Nadal e Carlos Berlocq, da Argentina, fechem o dia.

Polêmica. As quadras de saibro usadas no torneio voltaram a ser motivo de transtorno. Depois de muitas reclamações, a ATP fechou a quadra 2, no Ginásio Mauro Pinheiro, e a programação do dia foi alterada. Os três jogos que seriam realizados no local foram remanejados para a quadra 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.