Nadal não vai defender seu ouro em Londres

Tenista não conseguiu se recuperar das dores no joelho e desfalca a delegação espanhola, da qual seria porta-bandeira

MADRI, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2012 | 03h10

A delegação espanhola na Olimpíada de Londres recebeu um duro baque ontem, quando o tenista Rafael Nadal anunciou que não vai mais aos Jogos. Ele não conseguiu se recuperar de uma contusão no joelho esquerdo. Com a notícia, a Espanha não só perdeu um sério candidato à medalha de ouro como seu porta-bandeira.

"É um dos momentos mais tristes da minha carreira", disse o tenista em um comunicado. "Eu tentei até o último momento da minha preparação, mas não era para ser", lamentou. Com a desistência, o atleta abriu mão de defender a medalha de ouro conquistada nos Jogos de Pequim.

Nadal conta que considerou muitas variáveis antes de decidir. "Tive de pensar nos meus colegas. Não posso ser egoísta. Tive de pensar no melhor para o esporte espanhol, especialmente o tênis de meu país, e deixar um colega - com melhor preparação e em condições de competir - jogar." O tenista não havia revelado qual era o seu problema físico, mas o técnico Tony Nadal, admitiu à rádio Cadena Ser, de Madri, que seu pupilo não se livrou das dores no joelho.

O espanhol já vinha apresentando problemas físicos há algum tempo. Em junho Nadal conquistou o Grand Slam de Roland Garros pela sétima vez mas, na sequência, protagonizou uma das maiores zebras da temporada ao ser eliminado na segunda rodada de Wimbledon pelo checo Lukas Rosol. Pouco depois, o tenista desistiu de participar de um torneio beneficente no Estádio Santiago Bernabéu alegando precisar de descanso para se recuperar de uma tendinite.

O Comitê Olímpico Espanhol (COE) já definiu quem serão os substitutos de Nadal em quadra. Nas disputas de simples jogará Feliciano Lopes. Nas de duplas, Marc Lopez foi escolhido para atuar ao lado do já convocado Marcel Granollers.

A entidade, no entanto, ainda não anunciou quem será o novo porta-bandeira da Espanha, o que pode acontecer ainda hoje. Entre os cotados estão os velejadores Iker Martinez e Xabi Hernandez e o jogador de basquete Pau Gasol.

Nadal recebeu elogios do presidente do COE, Alejandro Blanco. "Foi um dia triste para ele mas, mais uma vez, provou ser uma grande pessoa", declarou a uma rádio espanhola. "Se ele não está 100%, se não está em condições de lutar pela vitória, se não está convicto de que pode ser campeão olímpico, prefere deixar outra pessoa tentar."

O presidente da Real Federação Espanhola de Tênis, José Luis Escanuela, não escondeu o impacto da notícia para o esporte local. "Esta é a pior notícia que poderíamos ter. Rafa sempre foi um exemplo de perseverança e tenacidade. Desejamos uma rápida recuperação."

Com a desistência de Nadal, o suíço Roger Federer e o sérvio Novak Djokovic chegam como os principais favoritos ao ouro no tênis olímpico. A competição será no All England Club, local das partidas de Wimbledon.

Nadal não foi a única baixa importante da Espanha. O ciclista Samuel Sánchez, que assim como o tenista ganhou ouro em Pequim, anunciou sua desistência dos Jogos por causa de uma lesão sofrida durante a Volta da França.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.