Nadal repete Federer e vai invicto à semifinal

Espanhol bate com facilidade Berdych e hoje encara Murray por vaga na final. O suíço faz clássico contra Djokovic

, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2010 | 00h00

Roger Federer chegou invicto às semifinais da Masters Cup de Londres. Ontem Rafael Nadal não deixou por menos. Com atuação impecável, eliminou Tomas Berdych da competição. Hoje a capital inglesa presenciará dois jogos sensacionais: o espanhol enfrenta o queridinho local Andy Murray, enquanto o suíço joga contra Novak Djokovic.

Berdych apostava todas as suas fichas contra o Touro Miúra, mas teve poucas chances de sucesso. Nadal entrou em quadra muito concentrado. Nem quando o árbitro brasileiro Carlos Bernardes deu um ponto ao checo após uma confusa marcação, o número 1 do mundo deixou o nível de seu jogo cair. Discutiu, é verdade. Ameaçou até deixar a quadra. Mas descarregou toda a sua fúria no adversário e venceu por 7/6 (7/3) e 6/1. Depois saiu de quadra sorridente e absolveu o juiz.

"Não há argumentos, mas tudo bem, árbitros erram de vez em quando", afirmou Nadal, aliviado por ter aumentado o nível de suas atuações desde a estreia, quando perdeu um set para Andy Roddick. "Terminar a temporada vencendo todos os jogos de um torneio tão difícil, numa superfície que é provavelmente a mais complicada para mim, é inacreditável", disse o espanhol, que iguala seus resultados de 2006 e 2007 na competição em que ainda espera ir mais longe.

Hoje, às 12 horas (de Brasília, com SporTV2), o espanhol terá uma dura tarefa diante de Murray e sua torcida. A coincidência é que, também em Londres, neste ano, ele passou pelo britânico na campanha até o seu segundo título em Wimbledon.

Agora, tornar-se campeão da Masters Cup coroaria um ano quase perfeito - levantou os títulos dos Grand Slams de Roland Garros, Wimbledon e US Open. "Você sempre pode ter uma temporada melhor, vencer todos os torneios. Para mim, isso é muito difícil de imaginar. É quase impossível", explica, sem querer criar muitas expectativas o espanhol, que garantiu a condição de número 1 do mundo pelo menos até fevereiro do próximo ano.

Djokovic completou a rodada final do Grupo A com uma vitória sem grande dificuldade sobre Andy Roddick (6/2 e 6/3), que perdeu todos os seus confrontos na competição. O sérvio enfrenta Federer no jogo que fecha a programação de hoje, às 18 horas (de Brasília), com o pensamento na final da Copa Davis. A partir da próxima semana, o número 3 do mundo já estará em Belgrado, onde a Sérvia decide a competição por equipes com a França.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.