Nado sincronizado do Brasil chega à final em Melbourne

A equipe brasileira de nado sincronizado, na madrugada desta terça-feira, se classificou para a final de Rotinas Livres do 12.º Mundial de Esportes Aquáticos, marcada para as 5 horas deste sábado (horário de Brasília). O time brasileiro fez 88,834 pontos e terminou na 11.ª posição. "O nosso maior objetivo era ultrapassar a França e ficamos muito perto disto (as francesas totalizaram 89,000 pontos) e só não conseguimos por pequenos erros no início, principalmente no tempo, no sincronismo. Se cravarmos isto na final, ultrapassamos as francesas", disse a treinadora brasileira Roberta Périllier.Os principais adversários nos próximos Jogos Pan-Americanos - EUA, Canadá, México e Venezuela - ficaram em 4.º lugar (96,333 pontos), 6.º (95,000 pontos), 12.º (87,000 pontos) e 18.º lugar (79,334 pontos), respectivamente. As russas foram novamente as melhores com a já costumeira nota de 99,000 pontos. Brasileira chega em 8.º na maratona de 10 kmA brasileira Poliana Okimoto terminou em oitavo lugar na prova de 10 quilômetros do Mundial de Esportes Aquáticos, vencida pela russa Larisa Ilchenko, que no domingo havia sido a campeã dos 5 quilômetros. A nadadora do Brasil terminou a prova em 2h04min09s1. O tempo da vencedora foi de 2h03min57s9. Ana Marcela Cunha, também do Brasil, chegou em 26.º lugar, com 2h13min17s6. A prova foi disputada na baía de St. Kilda, nos arredores de Melbourne. A medalha de prata foi para a britânica Casandra Patten, e a de bronze para a australiana Kate Brookes-Peterson, também terceira colocada nos 5 quilômetros. As águas-vivas na praia de St. Kilda dificultaram a atuação das nadadoras. Elas tiveram de dar quatro voltas num circuito marcado com bóias, até completar os 10 mil metros. A medalhista russa logo tomou a ponta do pelotão principal, com as britânica Patten e Keryanne Payne, Poliana Okimoto, a australiana Brookes-Peterson, a alemã Britta Kamrau-Corestein e a espanhola Yurema Requena. Pouco a pouco, as competidoras ficavam para trás. Na terceira volta, ficou claro que as medalhas estariam entre Ilchenko e Patten. Elas disputaram os últimos 500 metros braçada por braçada. Juliana Veloso se machuca em eliminatória da plataformaA saltadora Juliana Veloso se machucou no último salto do aquecimento para a disputa da eliminatória da plataforma. Ela sentiu a panturrilha da perna direita, mesmo local em que havia se contundido às vésperas de sua viagem rumo à Austrália. Como ela não se inscrevera na disputa do trampolim de 1 metro, resta à saltadora do Fluminense se recuperar para a prova do trampolim de 3 metros."Cheguei a ouvir um estalo quando corri para fazer o meu quinto e último salto. O que chateia é que no aquecimento, eu treinei os meus quatro primeiros saltos e em dois, eu fui aplaudida. Ou seja, estava num bom momento para me apresentar e me garantir logo na Olimpíada de Pequim (os 12 primeiros das provas olímpicas de saltos - trampolim de 3 metros e plataforma - no Mundial se garantem logo para os Jogos Olímpicos)", falou Juliana. Ela iria enfrentar mais 33 competidoras no Melbourne Sports and Aquatic Center, incluindo a atual campeã pan-americana da prova e campeã mundial em Barcelona/2003, Emilie Heymans, do Canadá, e a americana Laura Wilkinson, atual campeã mundial de plataforma em Montreal/2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.