Nalbert pode ficar fora da Olimpíada

A seleção brasileira de vôlei corre o risco de ficar sem o seu capitão para os Jogos Olímpicos de Atenas. Nalbert sofreu uma lesão no ombro esquerdo durante a partida que seu time, o Lube Macerata, disputou domingo contra o Ferrara pelo Campeonato Italiano e há suspeita de ruptura nos tendões. Ele saberá nesta quarta-feira se será preciso passar por uma cirurgia. Caso isso seja confirmado, a recuperação levará de quatro a seis meses. E a Olimpíada começa daqui a cinco meses. ?Vamos saber nesta quarta se ele precisará ser operado ou poderá ser submetido a um tratamento conservador. Se a ruptura foi total, não terá como escapar da cirurgia. Se foi parcial, como ele já teve ano passado antes da Liga Mundial, não será preciso operar?, disse Álvaro Chamecki, médico da seleção de vôlei. Mesmo que o jogador tenha de ser operado, o médico tem esperança de contar com ele em Atenas. Um fator favorável a Nalbert é o fato de a lesão não ter sido no ombro direito, que é o que ele usa para atacar. Nalbert sofreu a contusão no segundo set da partida, que foi vencida pelo Lube Macerata por 3 a 1 (21/25, 25/22, 25/20 e 25/22) em 1h38. Ele tinha feito três pontos e foi substituído por Molteni, que será seu substituto no jogo desta quarta-feira contra o Cuneo, fora de casa. O Lube está em segundo lugar com 18 vitórias e cinco derrotas ? o Trentino lidera com 19 vitórias e quatro derrotas ? e também jogará contra o Montichiari, domingo, e o Sisley Treviso no segundo turno. Nalbert está na seleção brasileira desde 1996. Nesse período, suas primeiras conquistas foram as seguintes: campeão mundial em 2002, campeão da Copa do Mundo em 2003 e campeão da Liga Mundial em 2001 e 2003. O que falta em seu currículo é o título olímpico e sua última chance será em Atenas, porque depois dos Jogos ele deixará a seleção. Existe até a possibilidade de ele trocar as quadras pela praia.

Agencia Estado,

16 de março de 2004 | 21h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.