Naná, Juba e Barata no caminho do Corinthians

O trio joga pelo Barras, do Piauí, rival do time paulista na estréia na Copa

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

13 de fevereiro de 2008 | 00h00

Juba, piauiense; Barata, paraibano; Naná, cearense; Micael, amazonense. Todos jogam no modesto e desconhecido Barras, do Piaiuí, e hoje enfrentam o Corinthians na estréia das equipes na Copa do Brasil. Esses sonhadores do futebol são o primeiro obstáculo do time paulista no início de sua batalha rumo à redenção e que pode desembocar em vaga para a Libertadores de 2009. A caminhada na busca das duas grandes metas de 2008 - o retorno à Série A é a outra - começa às 21h45, no Serra Dourada, em Goiânia, local da última glória alvinegra. A partida terá transmissão online, a partir das 21h45. Acesse e acompanheFoi no estádio usado pelo Goiás, em 2005, que o time dos ?galácticos? Tevez, Mascherano e Roger, entre outros, conquistou o título brasileiro. De lá para cá, o Corinthians só amargou frustrações. Seu noticiário chegou às páginas policiais, e dentro de campo eram só derrotas.Hoje, contra o Barras, espera começar a trilhar sua redenção nacional. Com qual escalação? Essa questão só momentos antes de a bola rolar. O técnico Mano Menezes, com vários desfalques, resolveu esconder os 11 titulares. "Ainda não decidi. Só vão saber na hora do jogo."Desta vez não é por tática. O zagueiro Chicão está suspenso e os volantes Perdigão e Fabinho, machucados. Nem viajaram com o grupo. E, como Mano Menezes fez apenas um trabalho tático e um dois-toques no Estádio da Serrinha, ontem, em Goiânia, surge uma questão: o treinador vai, enfim, apostar numa escalação ofensiva e buscar a vitória por 2 gols de diferença para eliminar o jogo de volta, no dia 5 de março?"Neste início de ano, nossa equipe apostou sempre em se fechar atrás e apelar para os contra-ataques", afirmou André Santos. "E, como o Serra Dourada é grande, esta deve ser nossa estratégia", explicou o lateral-esquerdo, esquecendo-se de que o empate seria equivalente a uma conquista de Copa do Mundo para o Barras.E, se depender das declarações do treinador, o Corinthians vai mesmo manter o esquema com três zagueiros. Crescem, assim, as chances de o chileno Suárez, enfim, estrear. "Quero usar a mesma idéia de time", disse o comandante. Para surpresa geral, Mano resolveu também contrariar os ?chefes?, que não admitem tropeços na Copa do Brasil. Uma forma de tirar o peso das costas de seus comandados? Pode ser. "A Copa do Brasil tem sua importância, mas a Série B para a gente é mais importante. Mesmo assim, vamos disputá-la da melhor forma possível."O técnico exibiu, ontem, aos jogadores vídeos dos dois últimos jogos do Barras. Tudo para acabar com a falta de conhecimentos sobre os piauienses - alguns atletas não sabiam nem o nome da equipe nem citar as cores do uniforme. "Vamos ter todas as informações. E, mais uma vez, jogar com a maioria dos torcedores a nosso favor", comentou Mano. Ontem 300 fanáticos foram ao treino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.