Não dá para abaixar a cabeça

A seleção feminina ficou em uma situação muito delicada. Mas em Jogos Olímpicos acontece de tudo. Não dá para abaixar a cabeça de jeito nenhum. O Brasil tem de encontrar imediatamente seu melhor vôlei senão corre sério risco de ficar fora das quartas de final. Time tem. Acho que a seleção tem de fazer valer a moral que adquiriu como campeã olímpica, e jogar cada confronto, a partir de agora, como se fosse a grande final porque não tem mais oportunidade para cometer erros.

Análise: Renan Dal Zotto, EX-JOGADOR DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE VÔLEI, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2012 | 03h05

O masculino, por sua vez, venceu uma equipe bem fraca, mas gostei muito do modo como enfrentou o jogo. Jogar contra times mais fracos é uma grande cilada porque você sabe que a qualquer momento pode vencer e há aquele relaxamento natural. O Brasil não relaxou em momento nenhum, o que foi muito bom. Foi muito legal, porque mostrou maturidade e a vontade de chegar lá novamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.