Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

'Não sei onde posso parar', afirma o jamaicano Usain Bolt

Depois do recorde mundial dos 100 metros, ele arrasou a marca dos 200 no Mundial de atletismo de Berlim

AE, Agencia Estado

20 de agosto de 2009 | 16h52

Depois de fazer história com a quebra do recorde mundial dos 200 metros rasos, poucos dias depois de obter o mesmo feito nos 100 metros, superando marcas que já eram dele, o jamaicano Usain Bolt afirmou nesta quinta-feira, em Berlim, no Mundial de Atletismo, que realmente não sabe mais quais são os seus limites.

Veja também:

link Bolt arrasa recorde dos 200 m e fatura ouro em Berlim

mais imagens GALERIA DE FOTOS - Imagens do dia 5

especial MUNDIAL - Leia todas as notícias do torneio

forum QUIZ - Participe do teste sobre o Mundial

tabela CALENDÁRIO - Todos os eventos e horários

"Eu não sei onde posso parar, só tento correr o mais rápido possível. É um momento muito especial para mim", afirmou Usain Bolt, que, logo após vencer a final dos 200 metros, exibiu uma camisa com a frase "Eu sou Berlino [nome do mascote do Mundial]".

E Bolt realmente foi a cara vitoriosa do Mundial de Berlim. Ele cravou 19s19 para pulverizar o seu próprio recorde mundial e se consolidar como grande nome da competição. Na Olimpíada de Pequim, no ano passado, o jamaicano havia marcado 19s30 para estabelecer o então melhor tempo da história dos 200 metros.

"Eu estava correndo com o meu coração pulando para fora. Eu consegui um bom começo e essa era a chave. E quando eu comecei eu vi que estava bem", reforçou Bolt, comentando o seu feito glorioso desta quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.