Napoli não aproveita tropeço da Juventus

Equipe do sul do país cria muitas chances de gol contra a Sampdoria, mas não consegue ir além de um empate por 0 a 0

NÁPOLES, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2013 | 02h02

O Napoli perdeu ontem uma ótima chance de colocar a Juventus sob pressão no Campeonato Italiano. Um dia depois de a líder da competição perder para a Roma, a equipe napolitana recebeu a Sampdoria com a missão de diminuir para apenas dois pontos a distância que a separa da Juve, mas falhou. O Napoli não saiu do 0 a 0 contra um time que está na parte de baixo da classificação.

O roteiro da partida foi absolutamente previsível: o Napoli teve a bola na maior parte do tempo e buscou o gol desde o início, enquanto a Sampdoria fez de tudo para manter o 0 a 0 até o fim. O domínio da partida, no entanto, de nada valeu para os donos da casa no primeiro tempo, quando eles foram incapazes de colocar a defesa visitante em perigo.

Na segunda etapa, o Napoli melhorou e começou a criar oportunidades de gol. Depois de Insigne exigir uma boa defesa do goleiro Romero, Hamsik deu um ótimo chute e viu a bola bater na trave. Dali até o fim da partida, o Napoli chegou perto do gol mais algumas vezes, mas nada de acertar o alvo. E os torcedores que foram ao Estádio San Paolo voltaram para casa frustrados.

"Criamos muitas oportunidades contra a Sampdoria, por isso ainda estamos otimistas quanto às nossas possibilidades de ganhar o título", disse Riccardo Bigon, diretor esportivo do Napoli. "Continuamos acreditando que o nosso futuro está em nossas mãos", completou o dirigente, que deu entrevista coletiva no lugar do técnico Walter Mazzarri, gripado.

No Estádio Artemio Franchi, a Fiorentina deu um show de bola e goleou a Internazionale por 4 a 1. Com 42 pontos, o time de Florença passou a somar 42 pontos (um a menos que a Inter) e já briga por uma vaga na Liga Europa. Ljajic (2) e Jovetic (2) marcaram para o time da casa; Cassano descontou. Hoje jogam Siena e Lazio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.