Keiny Andrade/AE - 16/11/2010
Keiny Andrade/AE - 16/11/2010

Nas mãos de Felipão, o futuro de Tite

Técnico palmeirense comemora 300 jogos à frente do clube e pode colocar um ponto final na passagem do amigo pelo comando do rival Corinthians

Daniel Akstein Batista e Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2011 | 00h00

SÃO PAULO - Luiz Felipe Scolari comemora neste domingo 300 jogos à frente do Palmeiras, que está invicto no Campeonato Paulista. Enfrenta um técnico que não tem nada para celebrar no comando do Corinthians. A passagem de Tite pelo clube alvinegro, aliás, pode terminar ainda hoje. O treinador dificilmente sobreviverá caso seu time fracasse no clássico do Pacaembu, a partir das 17 horas.

O insucesso na Taça Libertadores ainda ecoa pelos lados do Parque São Jorge. Todo o planejamento de 2011 foi traçado com o time na competição continental e a derrota para o Tolima acabou com os sonhos de 2011. O tempo para descansar foi pouco e, quatro dias depois, chegou a hora de enfrentar o maior rival.

"A gente se sente pressionado pelos resultados", admite o treinador corintiano. "Quando eles não aparecem, a pressão aumenta. Temos de tentar uma recuperação imediata por mais difícil que isso possa ser."

Tite foi escolhido pela torcida como um dos culpados pela eliminação. Ele, Roberto Carlos, Ronaldo e Andres Sanchez, principalmente. O presidente, aliás, bancou a permanência do treinador, mas outra derrota hoje deve mudar seus planos. Não haveria mais clima para Tite seguir.

O Corinthians entrará em campo pressionado. Apesar de o mando ser do Palmeiras, o torcedor alvinegro promete lotar seus lugares para protestar. Os times só esperam que a manifestação seja pacífica, ao contrário do que ocorreu horas depois da eliminação da pré-Libertadores, quando os muros do Parque São Jorge foram pichados e carros no CT, depredados, e no ataque à delegação ontem (leia abaixo). De qualquer maodo, a Polícia Militar está precavida e reforçada durante todo o domingo.

Fora da Libertadores, o Corinthians se vê na obrigação de conquistar ao menos um título neste ano. O primeiro passo para tentar amenizar a fúria e a decepção da torcida é passar hoje pelo Palmeiras. Tite, porém, terá desfalques. Já confirmou que Ronaldo (lesão na coxa direita), Roberto Carlos e Dentinho - ambos com problemas físicos - não vão atuar, o que não colabora em nada dentro de campo e tampouco para amainar os ânimos da torcida, para quem a ausência do três tem motivação clara, apesar das alegações oficiais.

Fábio Santos permanece na lateral-esquerda e, do meio para a frente, o Corinthians é uma incógnita. Danilo e Bruno César pleiteiam lugar no meio, enquanto Edno surge com boas possibilidades de entrar na frente.

No Palmeiras, Felipão comemora a fase do time e sua marca de 300 jogos (foram 45 só nesta passagem). "É uma situação especial na vida. Nunca pensei em trabalhar em tantos grandes clubes", falou. "Para mim, de Passo Fundo (RS), é um recorde, é histórico, vai ficar marcado na vida da família Scolari."

No twitter. Ronaldo aguentou calado dois dias de manifestações da torcida. Mas ontem, depois do sufoco na porta do CT do Corinthians, não se conteve e desabafou na sua página no twitter.

O Fenômeno disse que chegou a pensar em parar de jogar imediatamente, mas que decidiu não dar esse "gostinho aos vândalos e críticos". Além de condenar a agressividade e violência dos torcedores, chamou de falta de respeito a atitude mais exaltada de parte da torcida, que invadiu o CT na madrugada de quinta-feira e depredou carros de trabalhadores.

Em outra sequência de mensagens postadas na rede social, se defendeu das acusações de mercenário. "Não recebo um centavo do clube! Todo dinheiro que recebo eu trouxe, como o atual patrocinador master, que é a Hypermarcas. Jogo por amor e somente por amor! Porque realmente e sinceramente não precisava estar passando por tudo isso."

PALMEIRAS - Marcos, Cicinho, Maurício Ramos, Danilo, Rivaldo, Marcos Assunção, Márcio Araújo, Tinga, Luan, Kléber e Dinei. Técnico: Luiz Felipe Scolari

CORINTHIANS - Júlio César, Alessandro, Chicão, Leandro Castan, Fábio Santos, Ralf, Jucilei, Paulinho, Danilo (Ramírez ou Bruno César), Jorge Henrique e Edno. Técnico: Tite

Árbitro - Antonio Rogério Batista do Prado; Local - estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP); Data - 6/2/2011, domingo; Horário - 17 horas; TV - Band, Globo e PFC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.