Nasceu do povo e para o povo

Em 1910, quando a elite social dominava o futebol, um grupo de operários funda o clube que seria famoso pela popularidade

, O Estado de S.Paulo

01 Setembro 2010 | 00h00

"O Corinthians vai ser o time do povo e o povo é quem vai fazer o time." A frase é do alfaiate Miguel Battaglia, que em 1.º de setembro de 1910 descreveu com rara felicidade aquela que seria a principal marca do clube que acabara de nascer. Naquela esquina do bairro do Bom Retiro, na capital paulista, um grupo de amigos operários, formado por Joaquim Ambrósio, Carlos da Silva, Rafael Perrone, Antônio Pereira e Anselmo Correia, junto com outros oito companheiros, fundava o Sport Club Corinthians Paulista. Battaglia foi eleito o primeiro presidente.

Os fundadores trabalhavam na estrada de ferro São Paulo Railway. E foi no contato com os ingleses, inventores do futebol, que conheceram e se apaixonaram por aquele que se tornaria o esporte mais popular do mundo e marca registrada do Brasil no exterior. Nascia ali a vontade de criar um clube de futebol.

Da Inglaterra veio também a inspiração para o nome. Naquele ano, o interesse dos brasileiros pela modalidade motivou alguns times da terra da rainha a atravessarem o Atlântico. Um dos que desembarcaram por aqui foi o Corinthians, de Londres. Trata-se de uma equipe amadora, fundada em 1882 e que, desde 1939, quando se juntou ao Casuals, transformou-se no Corinthian-Casuals Football Club, cujo uniforme é baseado nas cores marrom e rosa.

Clube fundado, nome escolhido, faltava definir a sede. Os abnegados fundadores juntaram alguns colaboradores e alugaram um terreno na Rua José Paulino, que foi aplainado e transformado em um rústico campo de futebol. O processo foi tão rápido que, duas semanas depois, no dia 14 de setembro, os primeiros atletas já se movimentavam por ali.

Em uma época na qual o futebol era ligado à aristocracia, a origem humilde ajudou na popularização do time. O clube se tornou famoso. De acordo com o site oficial, "em 1913, o Corinthians pleiteou uma vaga junto à Liga Paulista de Futebol e foi aceito, tornando-se, assim, o quarto dos chamados "três mosqueteiros" (os outros eram Americano, Germânia e Internacional). Essa foi a origem do mascote corintiano".

O famoso hino, intitulado "O Campeão dos Campeões", foi composto no início dos anos 50 pelo radialista Lauro D"Ávila.

1910 a 1960

Desde sua fundação, o Corinthians chamava a atenção pela facilidade em cativar o público, identificado com a origem humilde do clube. A torcida crescia em ritmo frenético, assim como o cartel de títulos da sensação alvinegra. Na década de 20, por exemplo, o Corinthians venceu cinco Paulistas. Além disso, foram três tricampeonatos (22/23/24, 28/29/30 e 37/38/39, além de marcar a maior goleada de sua história: 11 a 0 no Santos. Em 1928, dois anos depois de comprar um terreno ao lado do Rio Tietê, inaugurava a Fazendinha. Em 1954 conquistava um dos mais importantes troféus de sua história: o Paulista do 4.º Centenário (foto).

1970

Sob o comando do folclórico presidente Vicente Matheus, o Corinthians vive momentos de intensa alegria e profunda tristeza. Em 1974, perde o Paulista para o Palmeiras, derrota que culminou na saída de Rivellino. Dois anos depois, a torcida mostra porque é chamada de Fiel ao dividir o Maracanã com o Fluminense, na semifinal do Brasileiro. O êxtase ocorre em 1977, quando o time (foto) vence o Paulista e acaba com a fila de 22 anos.

1980

Os anos 80 não são marcados apenas por títulos. Além do bicampeonato estadual em 82-83 , o Corinthians mistura esporte e política e apresenta a Democracia Corintiana. O movimento, liderado por Sócrates, Casagrande, Zenon e Vladimir, dá voz aos atletas, justamente em uma época marcada pela ditadura militar. O clube ainda ganha o Paulista de 88, quando Viola (foto) desponta ao marcar o gol da vitória na final contra o Guarani.

1990

Uma década especial. Começa com a conquista do primeiro título brasileiro, em 90, com gol de Tupãzinho (foto) contra o São Paulo, passa pelo Grêmio na Copa do Brasil, em 95, e termina com o bicampeonato brasileiro de 98-99.

2000

Em 2000, o Corinthians, com Dida no gol (foto), se transforma no primeiro campeão do mundo de clubes reconhecido pela Fifa. Vence o brasileiro de 2005 e mostra força para superar o escândalo no qual se tornou a polêmica parceria com a MSI e a renúncia do presidente Alberto Dualib, denunciado por desvio de dinheiro. Andrés Sanchez assume em 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.