Natação busca novos talentos no Rio

O surgimento de novos valores para a natação brasileira é a principal esperança do Esporte nacional para a primeira etapa da Copa do Mundo, de piscina curta, que começa nesta sexta-feira, às 17h, e vai até domingo, no Parque Aquático Júlio Delamare, no Rio. Depois do péssimo desempenho na Olimpíada de Sydney, em 2000, e no Mundial de Fukuoka, neste ano, as atenções voltam-se para nadadores que, urgentemente, precisam despontar e evitar novos vexames do Brasil em competições internacionais.Uma das principais motivações para os nadadores brasileiros se superarem é o fato de que a etapa carioca da Copa do Mundo é a primeira oportunidade para a obtenção de índices para o 6º Mundial em Piscina Curta, que será disputado em Moscou, na Rússia, entre os dias 4 e 7 de abril de 2002. Para realizar a competição no Rio e poder formar uma delegação de 128 nadadores brasileiros, além de trazer 67 atletas estrangeiros, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) gastou US$ 600 mil, que foram arrecadados junto ao Governo do Estado e patrocinadores.Com o objetivo de despertar o interesse dos nadadores estrangeiros em competir no Brasil, a CBDA distribuirá uma premiação total de US$ 60 mil, com prêmios para os três primeiros colocados nas 34 provas da etapa Rio da Copa do Mundo.Entre os nadadores internacionais está o russo Roman Sludnov, o primeiro homem a nadar os 100m peito abaixo de um minuto, além de ser campeão, recordista mundial e olímpico da prova. Além dele, há os norte-americanos Scott Tucker, de 25 anos, que ganhou no Mundial de Atenas a medalha de ouro nos 4x200m livre, medalha de prata nos 4x100m livre e bronze nos 100m livre, e Lindsay Benko, de 24 anos, campeã olímpica em Sydney no revezamento 4x200m livre e medalha de ouro nos 400m livre e bronze nos 200m costas no Mundial de Atenas.A etapa Rio da Copa do Mundo é a primeira, das nove previstas, do circuito da Federação Internacional de Natação (Fina). Além dos brasileiros, estarão competindo no Rio nadadores de 16 países: África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Canadá, Chile, China, Eslovênia, Estados Unidos, França, Itália, Peru, Rússia, Suécia, Ucrânia e Uruguai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.