Cielomatt Slocum/AP
Cielomatt Slocum/AP

Natação do Brasil vai mal em Jogos Olímpicos. Faz tempo

Em Londres, País conseguiu a prata de Thiago nos 400m medley e o bronze de Cielo nos 50m livre

Alessandro Lucchetti, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2012 | 03h03

Um mergulho na realidade. A natação brasileira emitia sinais de que não estava bem. Até aparecer

Moura, chateado com as comparações com o judô brasileiro, que conquistou um ouro e três bronzes em Londres, argumenta que a natação é muito mais concorrida. "A medalha é muito mais difícil na natação. Existe uma evolução tecnológica muito grande e há 205 nações na disputa", diz. A Micronésia, por exemplo, é um dos 205 países. O pequeno arquipélago da Oceania enviou a Londres um nadador que se prepara em rios, por causa da dificuldade para treinar em piscinas. Não se tem notícia de que ele colabore para elevar o nível das provas.

Coaracy Nunes, presidente da CBDA desde 1988, foi visto pela última vez no Aquatics Centre quando Thiago Pereira ganhou a prata. Moura, seu representante, considera positivo o saldo da natação em Londres: "Cumpriu suas expectativas".

Fernando Scherer, dono de duas medalhas olímpicas (bronze nos 50m livre e no 4x100m em Atlanta-96), comentarista da TV Record em Londres, é direto: "Tem dois caras - ou melhor - um cara que consegue grandes resultados e se cria a ilusão de que a natação brasileira está bem. Mas não está."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.