Natação espera muitos recordes no Mundial

Uma chuva de recordes é esperada a partir de domingo, com o início das provas de natação do Mundial de Esportes Aquáticos, em Barcelona. Em jogo estará também o título de melhor nadador do mundo. O Palau Sant Jordi, palco de concertos e eventos esportivos, foi equipado com uma "revolucionária piscina flutuante", com capacidade para 2,5 milhões de litros de água. "Deve ser o Mundial mais rápido da história", comenta o treinador-chefe da equipe inglesa, Bill Sweetenham, referindo-se às inovações tecnológicas utilizadas na piscina. Mas para o australiano Ian Thorpe, ganhador de seis medalhas de ouro no Mundial do Japão, em 2001, não há como saber se o atleta que for apontado como o melhor do mundo terá merecido o título. Ele suspeita de que o Mundial não está livre de atletas que utilizam substâncias proibidas e acusa a Federação Internacional de Natação (Fina) de não se empenhar o suficiente na luta antidoping."É triste dizer isso, mas acho que nunca houve um campeonato limpo", disse Thorpe a uma emissora de TV australiana. A declaração ocorreu exatamente uma semana depois de a Fina acabar com a suspensão por quatro anos de atletas que, pela primeira vez, apresentarem antidoping positivo para esteróides - vai adotar a punição por dois anos, como determina o Código Mundial Antidoping que todas as federações olímpicas devem seguir.Em Barcelona, Thorpe vai disputar os 100, 200 e 400 metros, livre, os 200 m, medley, e ainda participar de três provas de revezamento.

Agencia Estado,

18 de julho de 2003 | 18h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.