Natação: Fischer é apenas 3º nos 50m peito

Eduardo Fischer, do JTC/SC, é um dos nadadores favoritos para estar presente à final da prova dos 100 metros nado peito, nos Jogos Olímpicos de Atenas, mas uma operação de apêndice, no início do mês de abril, o privou de um bom desempenho no Troféu Brasil, que termina neste domingo, no Parque Aquático Júlio de Lamare, no Complexo Maracanã. Neste sábado, o atleta terminou apenas na terceira colocação dos 50 m, peito, prova em que é recordista sul-americano. Neste domingo ocorre a final da disputa mais tradicional da natação, os 100 m, livre, onde os atletas ainda lutam pelas duas vagas disponíveis à Olimpíada. "Ao receber a notícia de que teria que operar, fiquei assustado com o diagnóstico e até pensei que a Olimpíada estivesse comprometida", disse Fischer, que neste sábado fez o tempo de 29s09. Ele foi superado por Felipe dos Santos, AEAA/Campos, 28s82, e Henrique Barbosa, Minas Tênis Clube, 28s87. "Mas a recuperação foi boa, durou apenas 11 dias e voltei a nadar há duas semanas. Pena que não deu para fazer uma boa preparação para o Troféu." Nos 50 m, peito, feminino, que a exemplo do masculino não é uma prova olímpica, vitória para Rebeca Gusmão, AABB/DF, 32s73. Já nos 200 m, borboleta, a argentina Georgina Bardach, da Unisanta/SP, melhorou seu recorde sul-americano ao vencer a disputa com o tempo de 2min12s73. Gabriel Mangabeira, AEAA/Campos, foi o melhor da modalidade entre os homens, 1min59s94. Já a disputa na última oportunidade para a conquista de uma vaga para Atenas, nos 100 m, livre, vai ser acirrada. Até este sábado pela manhã, Gustavo Borges, do Pinheiros/SP, era o único a ter o índice exigido. No feminino, as esperanças da torcida brasileira voltam-se para Flávia Delaroli, do Pinheiros/SP, e Rebeca Gusmão, da AABB/DF, que também tentarão obter a marca. Com a final da prova dos 100 m, livre, o revezamento 4 x 100 m da modalidade, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Sydney, terá sua equipe formada. Até este sábado pela manhã, o time só tinha sofrido duas modificações, em comparação a 2000, com as saídas de Edvaldo Valério e do reserva César Quintaes, que deram lugar a Jáder Souza, Euclides Rodrigues/AP, e Nicholas dos Santos, Pinheiros/SP, respectivamente. Fernando Scherer, o Xuxa, e Gustavo Borges, ambos do Pinheiros, permaneciam no time. Apesar de ter a vaga, Xuxa vem se negando a participar da disputa, porque alegou estar se preparando somente para a prova que é a sua especialidade: os 50 m, llivre. Mas, o nadador vem deixando transparecer que deverá mudar de opinião mais uma vez e integrar o time. "Vamos aguardar e ver o que irá acontecer após a final de domingo", contou. Além dos 100 m, livre, e os revezamentos masculino e feminino, neste domingo também serão disputadas as finais dos 100 m, costas, 100 m, peito e 200 m, medley. Ao término da competição, a equipe brasileira dos revezamentos femininos dos 4 x 100m, livre e medley, além do 4 x 100 m, medley, masculino, farão uma tomada de tempos para tentarem melhorar suas marcas. O objetivo é o de assegurar um lugar entre os quatro primeiros do ranking mundial, a ser divulgado no final de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.