Natação garante dois ouros e quebra recordes

Brasil rivaliza com Estados Unidos pela supremacia da competição no Pan-Americano

Camila Moreira, REUTERS

17 de julho de 2007 | 15h08

No primeiro dia de disputas demedalhas, a natação brasileira empolgou a torcida no ParqueAquático Maria Lenk e abocanhou de uma vez só duas medalhas deouro, com Thiago Pereira nos 400 metros medley e em umaemocionante prova do revezamento masculino 4x200 metros livre. Ao menos no ranking de medalhas da natação o Brasil estáempatado com os Estados Unidos, já que cada país conquistoudois ouros. No total da modalidade, entretanto, osnorte-americanos chegaram a seis medalhas, sendo mais três deprata e uma de bronze. Thiago foi o grande vencedor do dia, tendo participadotambém da conquista do revezamento. Em sua primeira prova, elecompletou os 400m medley em 4min11s14, batendo os recordespan-americano (4min15s52) e o sul-americano (4min11s91). Amedalha de prata ficou com o norte-americano Robert Magalis(4min17s52) e o bronze foi para o canadense Keith Beavers(4min19s01). O brasileiro não teve dificuldades para subir ao degraumais alto do pódio, abrindo espaço em relação aos seuscompetidores desde o início da prova e bateu a mão com folga nofinal. Diogo Yabe ficou em quarto. "Não poderia ter sido melhor a estréia no Pan, com doisouros. Estou até mais confiante, porque no primeiro dia sempreficamos na dúvida se estamos bem, e agora confirmei que estou",avaliou Thiago. A disputa do revezamento foi emocionante. Thiago abriu aprova, seguido de Rodrigo Castro. Quando Lucas Salatta saltouna piscina, o Brasil estava apenas 0s49 atrás da equipe dosEUA, mas ele conseguiu reduzir a diferença. O último a saltar foi Nicolas Oliveira, com a equipebrasileira 0s21 atrás dos norte-americanos. A recuperação deleem seguida foi impressionante, e o Brasil fechou a prova com7min12s27, novamente batendo os recordes pan-americano(7min18s93) e sul-americano (7min20s00). Os EUA fizeram7min15s00 e os canadenses garantiram o bronze com 7min17s73. "Só tenho a agradecer os três por terem me dado essaoportunidade", disse Nicolas, apenas para ser corrigido emseguida por Thiago: "A gente que tem que agradecer a ele,porque ele caiu atrás e foi buscar." "Vi o Lucas e o americano juntos e pensei ''Nossa, vaisobrar na minha mão", completou Nicolas, que chegou ao Brasilapenas na semana passada depois de fazer provas na Universidadedo Arizona, nos EUA. Os nadadores fizeram questão de destacar a participação datorcida, que não ficou quieta nem por um minuto e comemoroumuito as duas medalhas. "Nunca vi um público tão entretido, agente nadou com cinco, e não com quatro", disse Castro, que nãose cansou de comemorar o novo recorde sul-americano. "Foi uma marca surpreendente, a gente nunca quebrou orecorde por tantos segundos. Foi espetacular." Nas outras finais do dia, Joanna Maranhão terminou emquarto lugar nos 400m medley, e Larissa Cieslak ficou emoitavo. Nos 400m livre, Monique Ferreira conseguiu apenas aquinta colocação. "É mais do que ótimo, eu não estava baixando de 4min50s,então foi excelente. Essas coisas acontecem por uma razão ehoje tinha que acontecer. Se fiquei em quarto lugar agora éporque tem coisa melhor para vir", resignou-se Joanna, que fezo tempo de 4min47s54 e ainda disputa os 200m medley no Pan.

Tudo o que sabemos sobre:
ESPORTESPANNATACAOMEDALHAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.