Natação: novo recorde sul-americano

Kaio Márcio Almeida, do Flamengo, não teve dificuldades para superar o recorde sul-americano dos 200m, borboleta nas finais deste sábado do Troféu José Finkel de Natação, no Clube Internacional de Regatas. Kaio fez 1m56s24, quase quatro segundos de diferença para o segundo colocado, Marcelo Tomazini, do Pinheiros, com 1min59s77. O tempo de Kaio melhora também o índice que o atleta obteve para o Mundial em Piscina Curta, de 4 a 7 de abril, em Moscou, na Rússia. Aos 17 anos, Kaio se firma como um dos grandes atletas da nova geração de nadadores brasileiros. "Com certeza o Brasil terá bons atletas nas próximas Olimpíadas e espero estar entre eles." As provas de 50m livre empolgaram o já animado público do Finkel. Flávia Delaroli não conseguiu repetir o tempo que lhe deu o recorde sul-americano nas eliminatórias (25s06), mas venceu a prova numa disputa com Rebeca Gusmão, do Vasco. Flávia fez 25s18 e Rebeca, 25s52. As duas confirmaram o índice para a Rússia. A boa surpresa veio com Amara Silva, do Tijuca Tênis, terceira colocada, com 25s82. Amara tem 17 anos e surge como promessa para compor o revezamento 4x100m livre no Mundial. No masculino, Nicholas Dias dos Santos, do Flamengo, se superou na eliminatória com 21s79, e tornou-se o terceiro brasileiro a nadar a distância abaixo de 22 segundos. Na final, o argentino José Meolans impôs um ritmo forte e cravou 21s75. Nicholas ficou em segundo, com 22s04. Carlos Jayme, do Vasco, foi terceiro com tempo melhor que o índice para o Mundial, mas já há dois atletas com marcas melhores, Nicholas e Raphael de Thuin. Nayara venceu os 800m livre, com 8min35s44 e confirmou o índice, mas quem estava feliz era Poliana Okimoto, do Corinthians. Ela fez 8min39s84 e conseguiu marca para o Mundial em Piscina Curta.A argentina Georgina Bardach, do Pinheiros, bateu o recorde sul-americano dos 200m borboleta, com 2min12s05 , uma prova depois de ter vencido os 200m medley, com 2m16s62. O recorde anterior, 2m13s62, era da também argentina Maria Pereyra, de 1994. Na mesma prova, Monique Ferreira, do Flamengo, superou o recorde brasileiro, com 2m17s76, e também fez índice para o Mundial de Moscou. Este é o terceiro índice de Monque Ferreira, que também conseguiu vaga no Mundial nos 400m e 4x200m livre. O Brasil já garantiu 25 atletas, em 21 provas, no Mundial. Doze recordes sul-americanos e 13 brasileiros foram batidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.