Natação paralímpica do Brasil tem seu melhor desempenho em Mundiais: 23 medalhas

O Brasil tem como meta ficar entre os três primeiros colocados dos Jogos Paralímpicos do Rio no número total de medalhas. E, para isso, conta com bom desempenho da natação. Rumo a esse objetivo, teve o melhor desempenho da história no Mundial de Natação, disputado em Glasgow (Escócia). Faturou 11 medalhas de ouro, oito de prata e quatro de bronze.

Estadão Conteúdo

19 de julho de 2015 | 18h45

Assim, o País terminou no quarto lugar do quadro geral do campeonato. Além disso, garantiu sete vagas diretas para os Jogos Paralímpicos do Rio-2016. Os responsáveis por alcançá-las foram Daniel Dias, Andre Brasil, Joana Neves, Phelipe Rodrigues, Matheus Rheine, Talisson Glock e Carlos Farrenberg.

Só Daniel Dias, aliás, ganhou seis medalhas de ouro em provas individuais na classe S5 e ainda participou de outras duas conquistas de prata com os revezamentos. "A competição foi incrível. Estou muito feliz com o resultado de todo o Mundial. Não só eu, mas todo mundo representou muito bem o Brasil e saio satisfeito com a minha performance e com a da seleção inteira. Foi um grande teste antes dos Jogos Paralímpicos", comentou o nadador.

Já Andre Brasil fechou o Mundial com o tetracampeonato dos 100m livre na classe S10. Ele se despediu de Glasgow com cinco medalhas - três ouros e duas pratas. O carioca soma agora 24 medalhas em Campeonatos Mundiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.