Náutico busca a salvação na Vila

Time pernambucanos precisa ao menos empatar para não cair

Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

06 de dezembro de 2008 | 00h00

O Náutico tem um dia decisivo hoje na Vila Belmiro diante do Santos. Com 43 pontos, o time precisa de pelo menos um ponto para se livrar definitivamente do rebaixamento, já que seu saldo de gols é bem melhor que o do Figueirense, o único da zona de risco que pode alcançá-lo. Acompanhe online a partidaJá o Santos precisa ganhar do dos pernambucanos, às 17 horas, para terminar o Brasileiro em 14º lugar e conseguir a classificação para a Copa Sul-Americana de 2009. É a última oportunidade para o time dar uma satisfação à torcida, depois de fracassar no Campeonato Paulista, cair nas quartas-de-final da Libertadores e correr risco de rebaixamento até a penúltima rodada do Brasileiro. Apesar do desnível técnico entre as duas equipes, a direção santista cuidou de todos os detalhes para evitar mais um vexame no último jogo do ano. A primeira providência foi livrar Kléber Pereira de cumprir o segundo jogo de suspensão. Com ele, o time volta a ter força ofensiva. Renovou o contrato do capitão Fábio Costa por quatro anos, além de acenar com a possibilidade de manutenção de Márcio Fernandes no comando técnico em 2009. Também baixou os preços dos ingressos para que a torcida lote o estádio. Mulher entra de graça, associado paga R$ 2 e torcedor com a camisa do clube tem direito à meia-entrada, no valor de R$ 5. O setor vip e cadeiras tiveram preços reduzidos para R$ 10. Para alguns jogadores, a partida de hoje deve ser a última no clube. Wendel resolveu o problema da lateral-direita, mas não vai ficar. O novo investidor já disse que não ajudará na contratação e o Santos alega que, com a crise financeira mundial, não tem como pagar US$ 1,5 milhão. Já o Palmeiras se nega a prorrogar o empréstimo. Domingos é outro que pode se despedir. Seu contrato termina dia 31 e a renovação, dada como certa há 15 dias, está ameaçada. Os dirigentes recuaram após ter concordado em dar ao zagueiro salário de R$ 130 mil e luvas de R$ 700 mil por um contrato de 3 anos. Ele ganha R$ 30 mil é quer recompensa por ter sido o mais titular da zaga. "É muito dinheiro para um zagueiro", justificou um dirigente. O lateral Kléber deve mesmo ir para o Manchester City, indicado por Robinho. Fabiano Eller pode aceitar proposta do Al Jazira-EAU. Há ainda a possibilidade do novo investidor negociar Molina com São Paulo ou Grêmio. Outro que dificilmente vai permanecer é o paraguaio Nelson Cuevas, que não correspondeu. Assim, é possível que metade do time que entrar em campo não volte das férias no dia 8 de janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.