Negociações de atletas aumentam 104% em um ano

Um dos sinais mais claros da recuperação das finanças do futebol é o mercado de jogadores, mais uma vez em pleno boom. Dados revelados nesta semana pela Fifa mostram que a transferência de atletas no período de inverno na Europa resultou em quantia 104% acima do valor de 2010, movimentando cerca de US$ 320 milhões. No total, 2,4 mil transferências de jogadores foram registradas apenas em janeiro, envolvendo 115 países.

, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2011 | 00h00

O caso que mais chamou a atenção foi o da Inglaterra. Só o Liverpool desembolsou US$ 56 milhões por Andy Carroll, do Newcastle. Roman Abramovich mais uma vez abriu os cofres e gastou US$ 80 milhões para levar o atacante Fernando Torres para o Chelsea.

Os gastos já são os maiores desde 2003, quando a economia global estava em plena expansão. Mas há quem tema que se trate apenas de uma nova bolha. O Parlamento Britânico já abriu investigações para avaliar o que de fato estaria ocorrendo nas finanças do futebol.

Pela primeira vez, a Fifa obriga que todas as transferências sejam registradas em um sistema eletrônico, com o valor pago pelo jogador, quem banca e quem o recebe. O sistema, entre outras coisas, garante que clubes tenham de fechar negócios dentro do prazo. Um dos últimos contratos assinados na janela de janeiro foi o do zagueiro brasileiro David Luiz, que passou do Benfica para o Chelsea faltando dois minutos para o fim do prazo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.