Negócio fechado, só falta depositar o dinheiro por Ganso

São Paulo acerta a contratação do meia e espera fazer o anúncio oficial amanhã após o pagamento ao Santos

O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2012 | 03h02

O São Paulo preferiu ainda não oficializar a contratação de Paulo Henrique Ganso, embora ela já seja dada como certa por todas as partes envolvidas.

Mesmo com o acordo fechado entre todas as partes, após reunião na noite de sexta-feira com representantes são-paulinos, santistas edo DIS, o clube do Morumbi prefere esperar para assinar o acordo, após o pagamento dos R$ 23,8 milhões ao Santos - R$ 17 milhões saem dos seus cofres para aquisição de 40% do meia e outros R$ 6,8 mi da DIS que passará de 55% para 60% do jogador), o que deve acontecer amanhã ou na terça-feira.

"É uma contratação que está muito bem encaminhada, mas ainda não podemos dar como fechada", falou Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, vice de planejamento do São Paulo.

Apesar do discurso cauteloso e respeitoso - a ordem é não melindrar o Santos para evitar uma reviravolta de última hora no caso -, Leco já se permitiu falar sobre a chegada de Ganso. "Temos tradição em contratar grandes meias que se destacaram no Santos, como o Airton Lira e Pita. Teve até o Vasconcelos, um meia do time de 1956 do Santos. Que o Ganso também chegue e repita a trajetória."

Depois de quase um mês de negociações arrastadas e da entrada do Grêmio nas tratativas, o São Paulo ainda teme que o Santos não cumpra o acordo fechado na reunião de sexta.

Mas, na Vila, a diretoria só espera a confirmação da transferência dos R$ 23,8 mi para a conta do clube para anúncio oficial.

O próprio Ganso dá o acerto com o São Paulo ratificado e está à procura de uma casa na capital paulista. A atitude em deixar explícito que queria jogar no São Paulo, aliás, foi preponderante para que o acordo saísse. O Grêmio havia se acertado com o DIS e o Santos, mas recuou depois de Ganso rejeitar ida para o Sul.

No São Paulo, esse gesto do atleta foi visto com entusiasmo. Um sinal de que ele está engajado a voltar a atuar em alto nível.

A apresentação ainda não tem data, mas a intenção é realizá-la nesta semana, logo após o negócio ser divulgado. A camisa 8, que já foi de Kaká e era de Fabrício, está separada para o meia.

Os futuros companheiros de Ganso já esperam a chegada dele. "Ainda não falei com ele, mas vai ser muito bom ter ele jogando com a gente. É um grande jogador", disse Lucas, colega do meia na seleção brasileira. / P.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.