Nelson Pessoa diz que medalha é lição aos que recorrem à Justiça

O experiente cavaleiro NelsonPessoa Filho, o Neco, hoje técnico da equipe brasileira desaltos, era a imagem do alívio após a conquista da medalha deouro. Envolvido na polêmica durante a formação da equipe para oPan, precisava da vitória para fazer valer o seu ponto devista. "Espero que os que provocaram tudo isso tenham recebido umaboa lição. Resultado se decide aqui e não nos tribunais", disseNeco, apontando para a pista. Para a formação da equipe brasileira, Rodrigo Pessoa eBernardo Resende estavam pré-selecionados pelas posições queocupam no ranking mundial. A seletiva no Brasil decidiria asoutras vagas, mas apenas César Almeida obteve o índiceestabelecido. A comissão técnica convocou então Pedro Veniss,que treina com Nelson Pessoa na Bélgica, o que provocouprotestos de cavaleiros que montam no Brasil e recursos àJustiça comum. "Em todos os esportes, os que se destacam vão para outrospaíses. Se são requisitados, é porque têm valor. É impossívelvir disputar seletivas aqui, porque têm calendário na Europa",defendeu Neco. Segundo ele, a solução é a classificação por índice, quegarante a presença dos melhores cavaleiros na equipe, mas elesprecisam ser exigentes. "A equipe ganhou (a medalha) com 9 pontos (perdidos). Oíndice para um cavaleiro era de 14 pontos. Se fosse com essenível, estaríamos em sexto", exagerou Neco, já que o Canadá,medalha de prata, totalizou 14,72 pontos. Dividindo a satisfação da medalha e de voltar a Deodoro,onde começou a montar na Escola de Equitação do Exército, Necodisse que já sentia sua missão cumprida. "Nosso objetivo era trabalhar para a equipe obter aclassificação para a Olimpíada de Pequim. O que vier agora élucro", disse ele, referindo-se à tarefa não tão árdua assim,já que os Estados Unidos não entravam na disputa por já terem avaga assegurada --são os campeões mundiais. Na medalha individual, que se decide domingo, Neco vê adisputa resumida a Pedro Veniss e Rodrigo Pessoa, primeiro equarto colocados, respectivamente, e aos canadenses JillHenselwood e Ian Millar, segundo e terceiro colocados. Pedro Veniss é a grata surpresa da equipe até agora, já quefoi o único brasileiro a zerar todos os percursos dacompetição. "Pedro acertou na mosca a cada tiro. Sua performance éexcepcional", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.