Neozelandeses se despedem de Jonah Lomu com último Haka

Cerimônia em Auckland tem mais de 8 mil pessoas

O Estado de S. Paulo

30 Novembro 2015 | 18h31

Os neozelandeses deram seu último adeus a Jonah Lomu em cerimônia com mais de oito mil pessoas, realizada no estádio Eden Park, em Auckland. A lenda do rúgbi dos All Blacks, que faleceu há 12 dias, aos 40 anos, foi homenageada por antigos e novos jogadores da seleção local com o tradicional Haka.

Um dos momentos mais marcantes no estádio foi quando Buck Shelford, capitão da Nova Zelândia na década de 80, liderou um Haka enquanto o caixão de Lomu era carregado por seus companheiros. A mulher de Lomu, Nadene, e seus dois filhos Brayley, de seis anos, e Dhyreille, de cinco anos, também estavam presentes.

Lomu tinha sérios problemas de saúde desde que parou de jogar, em 2002, quando tinha apenas 27 anos. Ele sofria de uma doença renal rara, a síndrome nefrótica, diagnosticada em 1995. Em 2004, ele foi submetido a um transplante de rim e precisou se submeter ao tratamento de hemodiálises três vezes por semana durante a última década.

O presidente da World Rugby, Bernard Lapasset, falou sobre a emoção de se despedir da lenda do rúgbi: "Jonah, você era uma aberração no campo e um cavalheiro, um gigante atencioso fora dele", disse o ex-treinador da seleção neozelandesa John Hart. "Nós escolhemos Eden Park por que é uma casa espiritual do rúgbi, e um lugar que ele amava demais".

O funeral de Jonah Lomu será realizado nesta terça-feira, em evento fechado para familiares e amigos mais próximos.

Mais conteúdo sobre:
Rúgbi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.