Nervosa, Jade deixa o ouro escapar e fica em 4o na ginástica

Uma queda nas paralelas tirou amedalha de ouro de Jade Barbosa na ginástica artística nosJogos Pan-Americanos. Até o último aparelho, a brasileiraaparecia em primeiro lugar, mas um desempenho ruim nasparalelas fez com que ela caísse para a quarta colocação. "(O nervosismo) atrapalhou um pouco, mas primeiracompetição é assim mesmo", declarou a carioca, de 16 anos, ementrevista coletiva. Jade chorou muito e foi consolada pelo técnico da seleçãobrasileira, o ucraniano Oleg Ostapenko. "Quando caí, eu pensei''não acredito, eu treinei tanto''. Daí eu engoli o choro. Depoisda prova relaxei e chorei", disse a ginasta, que costuma chorartambém em alguns treinos. As norte-americanas aproveitaram a falha de Jade ebrilharam, conquistando as três primeiras posições nestasegunda-feira. Shawn Johnson ganhou a medalha de ouro, com61.725 pontos, seguida pelas compatriotas Rebecca Bross(61.050) e Ivana Hong (59.375). Jade somou 59.325. "Trabalhamos muito duro em equipe. As brasileiras tambémsão boas, mas fizemos o melhor de nós e o resultado veio",declarou Johnson. Na prova que reúne os quatro aparelhos da ginásticaartística, Jade era apontada como uma das favoritas, após ficarcom o segundo lugar durante a competição por equipes, no fim desemana. Mas a brasileira caiu da trave, primeiro aparelho em que seapresentou, e também nas paralelas, o último, e teve suaatuação prejudicada. Sua melhor nota, 15.850, ocorreu no salto. As outras brasileiras que competiram foram Daniele Hypólitoe Khiuani Dias, que substituiu Laís Souza, poupada para asfinais por aparelhos já que se recupera de contusão na pernaesquerda. Daniele ficou na quinta posição (57.300) e Khiuani terminouem nono (55.625)."Não tive um erro grande, como uma queda, mas não foi odesempenho que eu esperava. Agora é levantar a cabeça para adisputa por aparelhos. Acho que tenho boas chances na trave",disse Daniele. Jade também competirá nos aparelhos e promete estar maiscalma. "Depois de dois dias de competição dá para acostumarmais", afirmou, em voz baixa. Quem apareceu no tablado foi Daiane dos Santos, mas nãopara competir. A ginasta, que disputaria a final de solo naterça-feira, está fora do Pan por causa de uma lesão notornozelo esquerdo e ajudou as companheiras a passar um póbranco nas barras paralelas, utilizado para não escorregar. A torcida, que compareceu em bom número à Arena Olímpica,com capacidade para 15 mil pessoas, gritou o nome da ginastagaúcha. E ela acenou, agradecendo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.