Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Ney Franco deve manter três atacantes contra The Strongest

Técnico são-paulino pode manter esquema que vem utilizando na Libertadores, quinta-feira contra os bolivianos

FERNANDO FARO, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2013 | 02h05

SÃO PAULO - Foram dois jogos testando a equipe com um meio-campo mais ofensivo e apenas dois atacantes, mas a tendência é que o São Paulo entre em campo para enfrentar o The Strongest com três atacantes. A dica foi dada pelo próprio Ney Franco após a vitória sobre o Linense por 3 a 0 no sábado ao ser questionado se manteria o 4-4-2 na quinta-feira. "É só olhar como o time jogou nas partidas da Libertadores, estudar o que fizemos nas nossas participações até aqui", indicou.

Mesmo experimentando diversas alternativas até agora, a formação com três atacantes foi a escolhida nos três duelos da competição prioritária da equipe no semestre. A única diferença é que Douglas, que jogou avançado nos jogos contra o Bolívar em La Paz e contra o Atlético-MG, será recuado para a lateral direita e abrirá espaço possivelmente para Aloísio, que vem fazendo bons jogos e mais uma vez se destacou contra o Linense. Foi a partir da sua entrada no lugar de Ganso que a equipe deslanchou e cresceu na partida.

O camisa 8, por sinal, deve voltar para o banco após duas partidas discretas como titular. O meia visivelmente ainda não encontrou seu lugar em campo, mas tem aparecido mais para o jogo e recebeu elogios de Ney Franco, que explicou que só substituiu o atleta porque era algo previsto. "O Ganso fez uma boa partida, no mesmo nível dos demais. Mas já vinha com essa ideia de testar o 4-2-3-1 no segundo tempo e como ele levou o cartão amarelo, acabou pesando." Denilson, preservado contra o Linense por causa do desgaste muscular excessivo, deve voltar e formar a dupla de marcação com Wellington.

Mesmo dando a dica de que voltará a atuar com a equipe mais ofensiva, o treinador não quis confirmar a mudança. "O jogo é quinta e não quero definir a equipe. Temos possibilidades para o próximo jogo e no momento certo vamos passar para vocês." A maior cobrança tem sido o fato do Tricolor ainda não ter uma cara definida na temporada, mas Ney defende o trabalho e acredita que está conseguindo liberar o time das amarras de uma única forma de atuar. "Tenho o time na mão e faço as mudanças com muita convicção, seja para testar ou para mudar uma situação de jogo."

Jogo do ano. O São Paulo entra em campo pressionado após estrear com derrota para o Atlético-MG. Como o The Strongest venceu o Arsenal, o Tricolor precisa dos três pontos para embolar a disputa e não correr o risco de ver os rivais dispararem. Os próprios jogadores admitem que a partida é de enorme importância. "Quinta-feira é o jogo mais importante para o nosso time, temos a obrigação de conquistar os três pontos. Vamos entrar fortes e determinados. O The Strongest vai jogar atrás, mas estamos acostumados", afirmou Luis Fabiano.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.