Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ney Franco estréia no Botafogo

Time encara o Botafogo, na Vila, com a missão de acabar com jejum de 8 jogos sem vitória

Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

13 de julho de 2008 | 00h00

O calvário do Santos continua. O time recebe o Botafogo hoje, às 16 horas, na Vila Belmiro. É a segunda chance em menos de uma semana de resgatar uma tradição, a de raramente perder pontos em casa. E também de apagar os dois últimos resultados na Vila: a goleada sofrida para o Goiás (4 a 0) e o empate contra o Grêmio (1 a 1). Acesse e acompanhe onlineMesmo estando acima do Fluminense e ao lado do Ipatinga na classificação, o Santos vai precisar vencer para ter esperança de sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro já na próxima rodada, quando enfrentará o Figueirense, em Florianópolis.Apesar da seqüência de resultados negativos, a equipe apresentou sinais de evolução nos três últimos jogos. A entrada de Michael na lateral-esquerda, com a passagem de Kléber para a armação de jogo, e a velocidade de Apodi, que joga quase como ponta-direita, mudaram as características do time na partida contra o Grêmio.É esse Santos mais leve, que chega com facilidade à área adversária, que deve ser visto em campo hoje contra o Botafogo. ''Precisamos controlar a ansiedade para aproveitar melhor as oportunidades que estamos criando e para não gastar energia à toa'', comentou Cuca.O treinador reprovou o desempenho da defesa nas últimas partidas e, para piorar, não poderá contar com Rodrigo Souto, suspenso. Em sua vaga deve jogar Roberto Brum.''Quando o erro é na frente, cai no esquecimento se sair um gol depois'', explicou. ''Mas uma falha na defesa, por menor que seja, pode comprometer o trabalho de vários dias'', emendou.A ineficiência do ataque ele espera resolver na troca de Kleber Pereira por Lima. É uma tentativa de fazer o centroavante se sentir incomodado e se recuperar da má fase.Apesar de ainda não ter vencido nenhum jogo no comando santista, Cuca faz uma avaliação positiva de seu trabalho. ''Houve um desastre: a goleada que sofremos contra o Goiás, na Vila Belmiro. De resto, considero normais os outros resultados'', comentou, referindo-se aos empates com Vitória, Fluminense, Portuguesa e Grêmio, além da derrota para o Atlético, em Curitiba.Por conhecer melhor o Botafogo, que ele dirigiu por dois anos - hoje enfrenta o ex-time pela primeira vez -, Cuca vai tomar alguns cuidados para não ser surpreendido outra vez em casa.O mais provável é que, diante dos sustos que a defesa vem dando, ele reforce a marcação no meio-de-campo. Contra o Goiás, abriu o time, apostou no ataque e perdeu de goleada. Hoje vai soltar os alas, mas, para compensar, manterá Adriano, Kléber e Roberto Brum mais presos à defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.